Sergipe

Olimpíada de Língua Portuguesa promove formação remota para professores

Publicados

em


A fim de preparar e orientar os professores da rede pública acerca das temáticas e categorias da Olimpíada de Língua Portuguesa (OLP), edição 2021, a coordenação estadual da competição promoverá formações remotas nos dias 25, 26 e 27 de novembro de 2020, no horário das 9h às 12h, no YouTube da Educação Sergipe. A OLP busca contribuir para a melhoria do ensino e da aprendizagem da oralidade, da leitura e da escrita nas escolas públicas de todo o país, por meio de ações de mobilização para a formação de professores e professoras de Língua Portuguesa e de Pedagogia.

Durante a formação serão apresentadas sugestões de estratégias didático-metodológicas para o ensino dos gêneros textuais Poema, Memórias Literárias, Crônica, Artigo de Opinião e Documentário. Os gestores escolares deverão indicar os professores, do 5º aos 9º anos e do Ensino Médio, interessados em participar da formação certificada, enviando os dados desses profissionais, na Ficha de Inscrição, para o e-mail: [email protected].

As lives formativas serão mediadas pelos professores Marcos André de Souza, coordenador da OLP pela União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime/SE); Antônio Félix de Souza, do Departamento de Letras da Universidade Federal de Sergipe (UFS); e Jorge Henrique de Barros Monteiro, coordenador da OLP pela Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc).

Leia Também:  Com debate e regularização de territórios, Governo do Maranhão promove Semana da Consciência Negra

Segundo o professor Jorge Henrique, a formação oferecida pela olimpíada, sob a coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), elucidará todas as informações da próxima edição. “A OLP, que acontece desde 2008, envolve professores e milhares de estudantes do 5º ano do Ensino Fundamental até o 3º ano do Ensino Médio, participando de cinco categorias: Poema, Memórias Literárias, Crônica, Documentário e Artigo de Opinião. Sergipe sempre tem se destacado na OLP, sendo medalha de ouro nas últimas edições, nas categorias Poema e Artigo de Opinião, além de diversas medalhas de prata em outros gêneros”.

Ele ainda reitera: “Participando da OLP, os professores trabalham com uma metodologia que aborda conteúdos curriculares previstos no ensino da língua portuguesa, em consonância com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), além de fazer parte de uma rede de conhecimento que proporciona formação a distância, além de recursos didáticos que ajudam o trabalho docente nas escolas”.

Mais informações podem ser obtidas por meio do Departamento de Apoio ao Sistema Educacional/Serviço de Apoio ao Desenvolvimento Estudantil (Dase/Seads/Seduc), com o professor Jorge Monteiro, pelos telefones 3179–3336 e/ou 99890–1616, e Secretaria Municipal de Educação de Aracaju (Semed/COEF/DED), com o professor Marcos André, pelo número: 3179-1501.

Leia Também:  Meteorologia indica semana de tempo quente e firme em Sergipe

 

Fonte: Governo SE

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Sergipe

Alunos do Baixo São Francisco retornam às aulas presenciais com vistas à preparação para o Enem

Publicados

em


Os cerca de 1.500 alunos das 30 escolas da rede estadual que ofertam o ensino médio na região do Baixo São Francisco, vinculadas à Diretoria Regional de Educação 6, retornaram às aulas presenciais na última terça-feira, 17. Os estudantes têm-se mostrado bastante satisfeitos com a retomada das aulas, principalmente porque dentro de dois meses, eles fazem as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

O diretor da DRE 6, Max Cardoso, destacou que a proposta da Regional é ativar as escolas que ofertam o 3º ano do ensino médio para que os jovens tenham mais um reforço para obter conhecimentos para o Enem, nessa primeira fase. “A escola tem um papel fundamental na vida desses jovens. A nossa maior preocupação é justamente com os alunos do 3º ano e das etapas finais do EJAEM, que vão fazer o Enem. É na escola onde eles encontram toda a estrutura e professores para esclarecer as dúvidas e poderem mostrar o seu protagonismo. É fundamental que a escola esteja aberta nesse momento para eles, porque os jovens precisam dessas orientações”, disse.

Escola de referência na região, o Centro de Excelência Joana de Freitas Barbosa, localizado em Propriá, fez o acolhimento dos alunos na quarta-feira, 25, e iniciou as aulas nesta quinta-feira, 26. Às 8h em ponto, a sirene tocou e os alunos foram entrando em uma fila com distanciamento. Logo na entrada, passaram por aferição de temperatura, higienização das mãos com álcool em gel e higienização das mochilas. Todos os estudantes estavam usando máscara, conforme o protocolo de segurança para evitar a disseminação do novo coronavírus.

A unidade de ensino está toda preparada com novos equipamentos e insumos necessários, adquiridos por meio dos recursos do Profin Pandemia. As aulas estão sendo ministradas no pátio, com as carteiras distanciadas umas das outras. O diretor Ary da Silva Rodrigues Souza destacou que o acolhimento dos estudantes foi feito com música para trazer-lhes um pouco de acolhimento. As aulas estão acontecendo de maneira híbrida, com metade das turmas presenciais e metade de maneira remota.

 “Já era um pedido dos pais, que as aulas retornassem. Estamos fazendo rodízio, separando por área, para não sobrecarregar os alunos. Esse momento é muito importante porque assim os professores podem passar simulados, avaliar quem está precisando mais dos conteúdos e de explicações, fazer com que os alunos busquem estudar mais um pouco. Estamos fazendo tudo para que os estudantes tenham um bom resultado”, declarou o diretor.

Leia Também:  Professores e gestores já podem se inscrever no Programa STEAM TechCamp Brasil

A jovem Karen Alves Pereira pensa em cursar Psicologia e comemora o retorno das aulas presenciais. “Quando o professor nos explica o assunto cara a cara é bem melhor do que virtualmente. Ajuda na compreensão da disciplina e fica mais fácil para tirar as dúvidas. A gente sente falta do contato, do abraço nos colegas, mas tudo bem, nós entendemos que é necessário esse distanciamento para nos protegermos”, afirmou. A mesma opinião foi compartilhada por seu irmão gêmeo, Nathan Alves Pereira, que pretende cursar Medicina. “Prefiro estudar aqui na escola do que em casa. A gente tem um acompanhamento mais direto. Os professores conseguem olhar para a gente e, pela nossa expressão facial, saber se estamos entendendo ou não a matéria”, disse.

No Colégio Estadual Coronel João Fernandes de Brito, também em Propriá, os alunos e professores celebram o reencontro, após meses de aulas a distância. Segundo o diretor Glaedson Novais Pinto, o primeiro dia de aula contou com uma recepção diferenciada, com música. A unidade de ensino também está seguindo todas as medidas de segurança, com equipamentos de proteção individual e permanente e todos os insumos necessários, adquiridos com recursos do Profin Pandemia. A escola está toda demarcada com a metragem de distanciamento, e conta com material de higienização, além de estarem sendo realizadas ações de sensibilização dos alunos.

“Por mais que tenhamos tido toda a preocupação com o ensino remoto, retornar e poder estar aqui é importante, não apenas por causa do conhecimento cognitivo, mas também por conta do acolhimento socioemocional. O retorno traz um certo tom de normalidade para todos nós”, declarou o diretor, explicando que as aulas estão acontecendo de forma híbrida com metade da turma frequentando presencialmente e outra metade ainda em atividades complementares remotas.

Para o professor Pedro Fernando, de Matemática, “os alunos estão contentes com a volta à sala de aula. A escola está bem equipada com todas as medidas de segurança, e tanto os alunos quanto os professores estão totalmente seguros aqui”.

Leia Também:  Sedu abre nova oferta para formação do Modelo da Educação em Tempo Integral

O estudante Cleno da Silva Vieira destacou que estudar presencialmente vai ajudar os jovens a buscar os seus sonhos. “Temos uma educação pública de qualidade, os professores prezam muito pela educação, e agora, com a pandemia, prezam pelos protocolos de segurança. Aqui realmente é um lugar seguro para o aluno seguir sonhando”, afirmou. Já a aluna Maria Letícia Oliveira Neta disse que “estar em contato direto com os professores traz mais facilidade para dirimir todas as dúvidas possíveis nos conteúdos que cairão no Enem”.

Já no Colégio Estadual Josino Menezes, no município de Japoatã, o diretor José Antonio Santos Souza disse que, no dia do acolhimento, parabenizou os alunos que aceitaram estar de volta às aulas presenciais, já que o retorno não é obrigatório. “Eles ficaram muito felizes com a receptividade. Os jovens sempre me perguntavam quando iríamos voltar novamente. Vejo que muitos estavam até precisando de atendimento psicológico, e com essa reaproximação, agora vejo a felicidade no rosto deles. Com as aulas presenciais, eles têm uma motivação muito maior para estudar”, afirmou.

A unidade de ensino conta com totem com álcool em gel, tapetes sanitizantes, adesivos demarcando espaços de distanciamento social, entre outras medidas de segurança sanitárias necessárias.

Quem também se mostrou satisfeita foi a aluna Maria Naiely dos Santos. “A gente passou por um período afastado. Retornando agora está bem melhor, pois as explicações dos professores ficam mais compreensíveis para todos nós”, disse.

Retomada

Desde o dia 17 de novembro, as escolas da rede estadual de ensino iniciaram o processo de retorno gradual, parcial e seguro, para os alunos dos terceiros anos do ensino médio e etapas conclusivas da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e Educação Profissional. A retomada está acontecendo mediante o cumprimento de todas as recomendações de segurança sanitária.

Para dar prosseguimento ao retorno, a Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc) apresentou o plano de retomada às diretorias regionais de Educação, gestores escolares e demais membros da comunidade escolar, e cada escola criou um comitê a fim de monitorar, avaliar e discutir todas as diretrizes e a partir daí colocá-las em prática de acordo com a estrutura de cada uma delas.

Fonte: Governo SE

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA