SAÚDE

Rússia: vacinação em massa contra Covid-19 começa em outubro

Publicados

em


source
vacina
Serviço de Imprensa/Ministério da Defesa da Rússia

Ministro da Saúde afirmou que em outubro deve começar a imunização em massa

O Ministro da Saúde da Rússia declarou que testes de vacina contra o coronavírus (Sars-Cov-2) foram completados e que o país deverá dar início à vacinação em massa no mês de outubro.  Mikhail Murashko fez as declarações em entrevista ao site Sputnik. 

“Estamos nos preparando para que em outubro comece a vacinação em massa contra o coronavírus”, disse o ministro.

“A vacina contra a infecção pelo coronavírus, desenvolvida pelo instituto Gamalei, completou suas pesquisas clínicas”, afirmou Murashko. Segundo o governo russo, atualmente estão sendo colhidos os documentos necessários para o registro oficial da vacina do Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamalei, que precederá seu uso.

Leia Também:  Covid-19: estudo brasileiro avalia potencial do uso de 4 drogas no tratamento

No plano, médicos e professores deverão ser os primeiros a ser vacinados. Mas ainda são esperadas pelo menos duas declarações oficiais sobre os testes clínicos de outras vacinas desenvolvidas na Rússia nos próximos 45 dias.

No último dia 29, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, havia dito que a situação do coronavírus na Rússia havia se estabilizado mas que em algumas regiões a situação ainda é complicada.

Nos meses de junho e julho o número de infectados caiu pela metade na Rússia, em comparação com os números recordes em maio, mas a situação ainda pode se agravar.

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

Medir a temperatura antes de entrar na loja ajuda mesmo? Médico explica

Publicados

em


source
termômetro
FreePik

Termômetro digital infravermelho tornou-se comum na entrada de grandes estabelecimentos

Entre as muitas medidas de segurança que se tornaram comuns durante a pandemia da Covid-19 , está a medição constante de temperatura em determinados ambientes. Durante o processo de reabertura gradual em vários estados do País, é comum encontrar um profissional com termômetro na entrada de lojas, supermercados e até restaurantes. Mas, afinal, a medida é eficaz para conter a infecção entre os clientes? 

De acordo com o diretor médico da Cia da Consulta, Felipe Folco, a medida pode auxiliar a segurança sanitária , porém existem cuidados muito importantes para o funcionamento correto dos termômetros e, consequentemente, para a identificação correta do sintoma. “Cada tipo de termômetro tem um modo adequado de ser utilizado que deve ser respeitado. A maneira correta de utilizar cada um está descrita no manual e é importante ler antes da utilização”, defende. 

Leia Também:  Estado registra 2.241 casos positivos e 53 mortes de Covid

“É importante também estar atento aos principais motivos de erro de medição da temperatura: não aguardar tempo suficiente para a medida correta, distância inadequada nos termômetros digitais infravermelhos, presença de cerúmen no canal auditivo externo (em termômetros infravermelhos auriculares), e pilhas fracas para qualquer termômetro digital”, reforça o profissional de saúde. Apesar dos muitos modelos disponíveis no mercado, atualmente os termômetros digitais inframermelhos são os mais comuns por permitirem o uso à distância. 

Felipe também reforça que “para confiar nos equipamentos é preciso verificar se o instrumento tem selo do INMETRO e registro junto a ANVISA, e mesmo assim ainda é possível uma variabilidade de 0,2ºC”. Apesar da variação, o médico explica que  “quando repetidas vezes a medição resulta em valores abaixo de 36,ºC, é bom verificar se o aparelho está sendo utilizado corretamente e se as pilhas estão carregadas. Lembrando que temperaturas abaixo de 35ºC não devem ser consideradas normais, sendo indicativas de hipotermia”.

É importante destacar, ainda, que a febre é apenas um dos muitos sintomas da Covid-19 e pode se manifestar em apenas uma parte dos casos. Além disso, existe a possibilidade de alguém infectado pelo vírus não apresentar qualquer sinal visível. “Apesar de existirem medidas que podem ajudar na identificação de casos, o  distanciamento social ainda é a única maneira eficaz de garantir a proteção de cada um”, finaliza o médico. 

Leia Também:  Pelo 2º dia, Brasil tem alta em número de casos de Covid-19 em 24h; quase 60 mil

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

GOIÁS

SEGURANÇA

BRASIL E MUNDO

MAIS LIDAS DA SEMANA