SAÚDE

Novo coronavírus pode infectar células do cérebro, diz estudo

Publicados

em


source
Novo coronavírus
GettyImages/BBC

Novo coronavírus penetra o cérebro pela corrente sanguínea

Um novo estudo publicado pela revista científica Live Science revela que o novo coronavírus (Sars-CoV-2) pode infectar o cérebro e causar danos severos, tão graves quanto nos pulmões. O artigo ainda não foi revisado por especialistas.

A Covid-19 foi relacionada a diversas formas de danos cerebrais, entre inflamações e encefalopatia. Os pesquisadores fizeram autópsias em pacientes que morreram da doença e conduziram experimentos utilizando o tecido nervoso. Foi descoberto que o vírus chega ao cérebro pela corrente sanguínea, olhos e bulbo olfatório. 

Os pesquisadores registram que o novo coronavírus também pode infectar neurônios com os receptores ACE2, os mesmos utilizados para penetrar nas células do pulmão, em ratos. Ainda é incerto se o Sars-CoV-2 tem o mesmo efeito em seres humanos.

Leia Também:  Casos da Covid-19 no Brasil caem 30%, diz Ministério da Saúde

Entre os principais sintomas registrados nos pacientes que tiveram o tecido nervoso infectado pelo novo coronavírus estão AVC, delírio, confusão mental e ausência de olfato. Pesquisadores ainda não identificaram se o vírus pode se replicar no cérebro. 

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

Cientistas encontram coronavírus em quatro praias dos EUA

Publicados

em


source
lago
Pixabay / Divulgação

Cientistas encontra coronavírus em praias do Lago Superior

Pesquisadores da Universidade de Minnesota encontraram, em pelo menos quatro praias dos Estados Unidos, amostras com traços do novo coronavírus (Sars-CoV-2) na água do Lago Superior. Os cientistas, porém, afirmam que não há indícios de que a água pode infectar banhistas.

O Lago Superior é o maior lago de água doce do mundo, localizado entre os Estados Unidos e o Canadá. Os motivos para a água do lago conter traços do vírus ainda são desconhecidos pelos pesquisadores.

Em entrevista para a rede KARE 11, afiliada da emissora NBC, o líder do grupo de pesquisa, Richard Melvin, afirmou que “o objetivo da pesquisa não é assustar as pessoas, mas responder questões da comunidade”, destacando que não é necessário gerar pânico em relação aos pontos turísticos.

Leia Também:  Rússia: vacinação em massa contra Covid-19 começa em outubro
Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

GOIÁS

SEGURANÇA

BRASIL E MUNDO

MAIS LIDAS DA SEMANA