SANTA CATARINA

Estiagem em SC: Boletim hídrico aponta agravamento da estiagem

Publicados

em



Foto: Aires Mariga / Epagri

O 13º Boletim Hidrometeorológico do Estado divulgado nesta última quarta-feira, 18, pela Secretaria Executiva do Meio Ambiente (SEMA), integrada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), apontou intenso agravamento da situação de estiagem em Santa Catarina, em especial entre a região do Oeste e Planalto Sul do Estado, onde ocorreram baixos volumes de precipitação em comparação com a média histórica.

Na análise da situação do abastecimento público, dos 295 municípios catarinenses, 143 permanecem em condição de normalidade; 83 em estado de atenção; 28 em alerta; e 25 em estado crítico frente a estiagem, ou seja, são 15 municípios a mais em relação ao boletim anterior.

Este resultado representou considerável piora em comparação com o observado no boletim anterior, especialmente na avaliação das cidades em situação crítica, que passou de 10 para 25 cidades nesta condição ao longo da última quinzena.

“A estiagem volta a se agravar no Estado. O governo segue trabalhando nas ações necessárias de mobilizações e medidas de mitigação no sentido de reduzir os impactos da estiagem. Pedimos o uso racional e consciente por parte dos usuários de recursos hídricos e da população de modo geral, com especial atenção até que sejam atualizadas as informações novamente”, destaca o Diretor de Recursos Hídricos e Saneamento da SEMA, Leonardo Ferreira.

Leia Também:  Vacina produzida em parceria com o Instituto Butantan é segura, aponta estudo com 50 mil voluntários

Avaliação Índice Integrado de Secas

Como novidade neste boletim, agregou-se a avaliação do índice integrado de seca (ISS), que identifica as áreas e as classifica por intensidade: seca fraca (S0) até seca excepcional (S4), indicando como a seca e o déficit de umidade têm impactos sociais, ambientais ou econômicos ao longo do tempo. Esta análise apontou 56 municípios em seca grave, 72 em extrema e, ainda, 11 cidades em condição excepcional.

O índice Integrado de Secas também apontou que os baixos volumes de chuva no mês de outubro, caracterizado climatologicamente como um mês de elevados volumes de precipitação para Santa Catarina, resultaram no avanço de seca grave para quase todo o estado, com impactos de curto e longo prazo.

“Nós continuaremos monitorando a situação nos municípios e acompanhando as medidas previstas nos planos de ações emergenciais das concessionárias. Com a temporada de verão se aproximando a preocupação aumenta ainda mais em função dos mananciais não estarem recarregados para atender esse incremento populacional que vai chegar”, observa a Gerente de Saneamento Básico da Aresc, Luiza Burgardt.

Tendência de poucas chuvas

Quanto à previsão do tempo, a expectativa para a próxima semana é de poucas chuvas, com volume superior na região centro-leste. Na semana seguinte espera-se chuva um pouco melhor distribuída e com volumes mais significativos. Contudo, essa chuva ainda não será suficiente para reverter a situação de deficit hídrico já estabelecido em todo o território.

Leia Também:  Falha no sistema causa atraso no boletim de mortes e casos da Covid-19 em SP

No entanto, tendo em vista a condição hidrológica dos cursos d’água permanecendo com déficit hídrico, é possível indicar a permanência da estiagem prolongada no Estado de Santa Catarina. Em virtude da ausência de uma maior distribuição e volume de chuvas, tende a aumentar o número de municípios em estado de atenção, alerta e crítico.

O estudo de monitoramento, coordenado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) em parceria com a Defesa Civil de Santa Catarina, Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (ARESC) e outras agências reguladoras do Estado, tem o objetivo de monitorar e divulgar a situação hídrica catarinense.

Mais informações para a imprensa:
Mariane Lidorio
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável – SDE
Fone: (48) 3665-4298 / 99601-1488
E-mail: [email protected]
Site: www.sde.sc.gov.br

Mais informações para a imprensa
Flávia Grechi
Assessoria de Comunicação
Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc)
E-mail: [email protected] 
Fone: (48) 3664-4211
Site: www.aresc.sc.gov.br

Fonte: Governo SC

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SANTA CATARINA

Procon/SC dá dicas para o consumidor aproveitar os descontos da Black Friday

Publicados

em



Foto: Julio Cavalheiro / Arquivo / Secom

Com a chegada da Black Friday nesta sexta-feira, 27, é importante reforçar os cuidados na hora de realizar as compras. O Procon/SC, uma diretoria da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), preparou uma série de dicas para tranquilizar e orientar os consumidores, a fim de evitar fraudes ou que clientes sejam lesados.

A primeira dica é pesquisar bem, para evitar comprar em lojas que elevam os preços antecipadamente para depois oferecer o desconto. Se houver aumento de preços, eles terão que ser justificados pelos estabelecimentos.

“Caso seja constatada a fraude, por ferir o Código de Defesa do Consumidor, a empresa poderá ser autuada por propaganda enganosa, além de não cumprimento da oferta e aumento de preços sem justificativa”, explicou o diretor do órgão, Tiago Silva.

É importante lembrar que a atuação do Procon/SC será de maior eficiência com a ajuda do consumidor. Caso flagre algum tipo de fraude ou propaganda enganosa, o cidadão deve comparecer ao Procon, levando os documentos pessoais e um que comprove a fraude, seja uma nota fiscal ou imagem, para abrir uma reclamação. Também é possível fazer a reclamação no site www.consumidor.gov.br.

Leia Também:  Boletim Sesacre desta segunda-feira, 9, sobre o coronavírus

Dicas do Procon para aproveitar a Black Friday:

Antes da Black Friday, acompanhe os preços dos produtos/serviços que deseja adquirir, anote preços e guarde as informações da sua pesquisa (telas, folhetos), incluindo site e data da pesquisa. Assim, caso haja fraude, você terá como comprovar.

Cuidado com compras de sites estrangeiros, as regras do Código do Consumidor não se aplicam se o site não tiver representantes no Brasil.

Consulte sempre a página oficial da loja.

Verifique a reputação do fornecedor.

O consumidor que realizar a compra pela internet ou telefone terá direito ao prazo de arrependimento, que é de sete dias a partir da entrega do produto. Neste caso, o consumidor pode devolver o produto e receber o dinheiro de volta.

Nenhuma empresa é obrigada a realizar a troca caso não haja dano no produto. Por isso, verifique antecipadamente a política de troca da loja.

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável – SDE
Fone: (48) 3665-4298
E-mail: comunicacao@sde.sc.gov.br
Site: www.sde.sc.gov.br

Leia Também:  Boletim diário covid-19 no município de São Paulo

Fonte: Governo SC

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA