RIO DE JANEIRO

Homicídios dolosos registram queda de 20% em agosto

Publicados

em


.

Homicídios dolosos registram queda de 20% em agosto

15 de setembro de 2020

 

Os homicídios dolosos registraram queda de 20% no estado do Rio de Janeiro em agosto deste ano, na comparação com o mesmo período de 2019. Esse foi o menor número para o indicador no mês de agosto em toda a série histórica, iniciada em 1991 pelo Instituto de Segurança Pública (ISP). No total, foram contabilizadas 320 mortes em agosto de 2019 e 256 em agosto de 2020. 

 

O estado registrou ainda redução de 11% dos homicídios dolosos nos oito primeiros meses de 2020, em relação ao mesmo período do ano passado. De janeiro a agosto deste ano, foram 2.413 vítimas contra 2.723 em 2019. O ISP registrou também queda no número de latrocínios (roubo seguido de morte). Foram 58 vítimas nos oito primeiros meses de 2020, 29 mortes a menos do que no mesmo período de 2019. Em agosto deste ano, foram registrados 11 roubos seguidos de morte.

 

– A integração entre as polícias Civil e Militar e os investimentos em inteligência têm refletido nos índices de criminalidade, com redução expressiva em crimes como homicídios dolosos, roubos de rua e latrocínio. Vamos trabalhar para continuar a avançar na política de segurança, que é nossa prioridade, garantindo a qualidade de vida dos cidadãos fluminenses – disse o governador em exercício, Cláudio Castro. 

 

Outros indicadores estratégicos

 

? Crimes violentos letais intencionais (homicídio doloso, roubo seguido de morte e lesão corporal seguida de morte): foram 2.492 vítimas nos oito primeiros meses de 2020 e 269 em agosto. Esses valores representam o menor para o acumulado e para o mês desde o início da série histórica, em 1999. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou queda de 12% em relação ao acumulado do ano e de 18% em relação a agosto de 2019.

 

?  Morte por intervenção de agente do Estado: foram 878 mortes nos oito primeiros meses de 2020 e 50 em agosto. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou queda de 30% em relação ao acumulado do ano e de 71% em relação a agosto.

Leia Também:  Projeção do BC para queda do PIB passa de 6,4% para 5%

? Roubo de carga: foram 3.516 casos nos oito primeiros meses de 2020 e 416 em agosto. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou queda de 33% em relação ao acumulado do ano e de 29% em relação a agosto.

? Roubo de veículo: foram 17.407 ocorrências nos oito primeiros meses de 2020 e 1.793 em agosto. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou queda de 38% em relação ao acumulado do ano e de 44% em relação a agosto.

? Roubo de rua (roubo a transeunte, roubo de aparelho celular e roubo em coletivo): foram 49.201 registros nos oito primeiros meses de 2020 e 5.414 em agosto. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou queda de 42% em relação ao acumulado do ano e de 45% em relação a agosto. 

Os dados divulgados pelo Instituto de Segurança Pública são referentes aos registros de ocorrência lavrados nas delegacias de Polícia Civil do estado do Rio de Janeiro.

Monitor da violência doméstica e familiar contra a mulher

Desde a adoção do distanciamento social no Estado do Rio de Janeiro, em 13 de março, até o dia 31 de agosto, houve redução das ocorrências de “Violência Contra a Mulher” registradas nas Delegacias da Secretaria de Estado de Polícia Civil: 43,2% do número de mulheres vítimas de Violência Moral; 43,1% de Violência Patrimonial; 39,7% das vítimas de Violência Psicológica; 27,9% das vítimas de Violência Sexual; e de 27,9% das vítimas de Violência Física. 

Os crimes tipificados pela Lei Maria da Penha também apresentaram diminuição: 30,0%.Apesar da queda dos registros das transgressões analisadas, a proporção de crimes mais graves que ocorreram em casa aumentou. No período estudado em 2020, 67,1% dos crimes de Violência Sexual (58,3% em 2019) e 66% dos de Violência Física (60,2% em 2019) aconteceram dentro de casa. 

O número de ligações para a Central de Atendimento do Disque Denúncia apresentou redução de 19,1% para casos de “Violência contra Mulher”. Por outro lado, o Serviço 190 da Polícia Militar apresentou aumento na quantidade de ligações sobre “Crimes contra a Mulher” (12,2%), na mesma comparação de datas.  No entanto, em uma análise mais minuciosa ao longo desse período, observa-se que, desde o final de maio, o registro de vítimas mulheres vem aumentando. Em agosto de 2020, nota-se que os números estão voltando a se aproximar do patamar observado em 2019. Na última semana de agosto, contudo, os registros relacionados à violência sexual, psicológica e moral caíram notadamente na comparação com 2019. 

Leia Também:  Polícia Civil realiza megaoperação para prender autores de roubo, latrocínio e receptação

Já o número de ligações para o 190 e para o Disque Denúncia permanece relativamente estável nos últimos meses do período de isolamento.Na análise mensal, os números de vítimas de feminicídio e de tentativa de feminicídio caíram em agosto deste ano se comparados com o mesmo mês de 2019. No último mês, foram registradas três vítimas de feminicídio (contra 6 em agosto de 2019) e 17 vítimas de tentativa (contra 34 em agosto de 2019).O total de vítimas mulheres de crimes que foram registrados sob a Lei Maria da Penha apresentou uma queda de 4,2% em agosto de 2020 em relação ao mesmo mês do ano anterior. 

Houve aumento de 6,9%, se comparado ao total de registros de julho de 2020.Os crimes de lesão corporal dolosa e ameaça apresentaram queda de 9,5% e 11%, respectivamente, no número de vítimas mulheres no mês de agosto de 2020 em comparação a agosto de 2019. Já o crime de estupro teve um aumento de 6,5% no número de vítimas mulheres, quando comparado ao mesmo mês do ano anterior. Em paralelo com o mês de julho de 2020, houve aumento do número de vítimas para os três delitos: 3,4% a mais para lesão corporal dolosa, 13,4% para ameaça e 24,8% para as vítimas de estupro.Para mais informações sobre o Monitor da Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher no Período do Isolamento Social, clique aqui.

Fonte: Governo RJ

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

RIO DE JANEIRO

Ramal de Santa Cruz terá quatro trens extras a partir de 2ª feira (05/10)

Publicados

em


Ramal de Santa Cruz terá quatro trens extras a partir de 2ª feira (05/10)

1° de outubro de 2020

 

A partir da próxima segunda-feira (5/10), a SuperVia quatro trens extras passarão a cirucular diariamente no ramal Santa Cruz: dois no pico da manhã (entre 6h e 7h) no trajeto Santa Cruz – Central e dois no pico da tarde (entre 17h30 e 18h10) no sentido oposto. Com essas novas viagens, o intervalo entre as composições (nesses horários), que hoje é de 18 minutos, será reduzido para 9 minutos.

 

O acordo foi firmado em reunião ocorrida nesta quarta-feira (30/09), com participação do secretário de Estado de Transportes, Delmo Pinho, e dos deputados estaduais André Ceciliano, presidente da Alerj, Lucinha e Waldeck Carneiro.

 

– Dessa forma, vamos conseguir uma oferta que permita melhor atendimento aos usuários. Serão cerca de 6 mil assentos a mais entre Campo Grande e Santa Cruz – ressaltou o secretário de Transportes.

Fonte: Governo RJ

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Secretário de Saúde fiscaliza Getúlio Vargas e UPA da Penha, e anuncia reforma nas unidades
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

GOIÁS

SEGURANÇA

BRASIL E MUNDO

MAIS LIDAS DA SEMANA