POLÍCIA CIVIL GO

Polícia Civil faz reprodução simulada do assassinato de dois advogados ocorrido no Setor Aeroporto, em Goiânia

Publicados

em


A Polícia Civil de Goiás, por meio da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH) realizou, na tarde desta quinta-feira (26), a reprodução simulada (reconstituição) do caso dos advogados mortos no dia 28 de outubro deste ano. A reprodução simulada é uma das diligências tomadas pela DIH, de ofício, para fins da investigação criminal. A diligência serve para a análise da dinâmica do fato, de modo a dirimir dúvidas sobre o acontecimento. O trabalho foi coordenado pelos delegados Rilmo Braga e Rhaniel Almeida, da DIH, e contou com substancial apoio dos peritos criminais, que lavrarão, ao final, laudo técnico.

A reprodução simulada foi feita no escritório de advocacia das duas vítimas, situado na Rua 9-A, Setor Aeroporto, Goiânia, e teve a participação do executor Pedro Henrique Martins. A segurança no local foi reforçada pelos policiais civis da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE/GT3), o grupo tático da PCGO, durante a realização do trabalho.

O caso foi investigado por uma força-tarefa composta por 38 policiais civis da Homicídios e prendeu todos os envolvidos, inclusive os intermediários e o mandante. O inquérito deve ser concluído em breve.

Leia Também:  Polícia Civil cumpre prisão preventiva de homem investigado por espancar a companheira grávida, em Posse

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍCIA CIVIL GO

Operação Sinuca de Bico: PCGO prendem investigados por homicídio em Aparecida de Goiânia

Publicados

em


A Polícia Civil, por meio do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Aparecida de Goiânia, deflagrou, no dia 22 de dezembro de 2020, a Operação Sinuca de Bico. A finalidade foi cumprir 3 mandados de prisão temporária e 3 busca domiciliar em desfavor de indivíduos suspeitos de serem os executores do homicídio de Giovanne Ferreira da Costa, 21 anos. A vítima foi morta no dia 19 de outubro do ano passado, no Setor Independência Mansões, em Aparecida de Goiânia.

Durante as diligências, os policiais civis conseguiram cumprir mandado de prisão temporária expedido em desfavor de um dos investigados que teria conduzido a motocicleta utilizada no crime, tendo o veículo também sido apreendido no desenrolar da operação.

No endereço de Élson dos Reis Pereira, 37 anos, vulgo “Parazinho”, suspeito de ter sido o responsável pelos disparos que ceifaram a vida de Giovanne, a equipe policial recebeu a informação de que ele se encontrava no Estado do Pará.

Após troca de informações com a Polícia Civil do Estado do Pará, por intermédio da Força Nacional de Segurança Pública (Ministério da Justiça), os policiais civis de São Domingos do Araguaia (PA) fizeram a abordagem ao veículo de Élson. O investigado, porém, conseguiu fugir para uma área de mata. Os policiais civis também descobriram que “Parazinho” se apresentava, no Pará, pelo nome de “CARLOS DANIEL DA SILVA RODRIGUES”.

Leia Também:  Polícia Civil prende investigado por estelionato na compra de máquinas agrícolas

Com base nessas informações, o GIH de Aparecida representou pela prisão preventiva de Élson dos Reis Pereira, vulgo “Parazinho”. A medida foi deferida pelo Poder Judiciário da Comarca de Aparecida de Goiânia. Quem tiver informações sobre o paradeiro do investigado, por fazer denúncia anônima para o Disque 197 da Polícia Civil. Ou entrar em contato com o GIH pelos números (62) 3201-3902 e (62) 98461-0128. Os investigados respondem a inquérito policial pelo crime de homicídio qualificado.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA