PET

Emocionante: Cadela é resgatada dos trilhos do metrô e reencontra dona

Publicados

em


source
seguranças
Youtube/Reprodução

Bailey no colo dos seguranças que a resgataram

Hoje uma cachorrinha, chamada Bailey, foi retirada dos trilhos do Metrô em São Paulo, entre as estações Conceição e Jabaquara da linha azul. Os funcionários descobriram por conta de uma publicação no Instagram que a cadela estava sendo procurada pelos seus donos.

Para fazer o resgate, a equipe desernegizou e parou a linha por alguns minutos e correu para conseguir salvar o animal sem gerar grandes transtornos para os usuários.

Quando Bailey já estava a salvo e mais tranquila, uma passageira a reconheceu do post do Instagram e avisou os funcionários, que entraram em contato com a dona que logo foi buscar sua companheira.

Em vídeo postado no canal de Youtube do Metrô de São Paulo, a história do resgate da Bailey é contado em detalhes e tem uma filmagem emocionante do reecnontro da cadela com sua dona. Veja abaixo:

Leia Também:  História emocionante! Casal perde cão e resolve adotar outros 15


Fonte: IG PET

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

PET

Conheça o Taxi Dog, o uber voltado para todos os bichinhos de estimação

Publicados

em


source


taxidog
Divulgação

Conheça Hamilton Taurino, que trabalha com o taxi dog, transportando animais por Olinda

Hamilton Taurino, 53 anos, sempre amou animais . Contudo, ele não pode ter um em casa por causa das alergias de sua esposa. Mesmo assim ele e seu filho sonham em um dia terem algum animalzinho de estimação. 

Enquanto a solução para a alergia da esposa não chega, para ficar perto dos bichinhos, o autônomo (que também trabalha na área de refrigeração) criou um serviço de transportes de animais, o Taxi Dog. Em entrevista ao Canal Pet, ele conta um pouco sobre esse trabalho. 

Como nasceu o Taxi Dog 

Há cerca de dois anos, Hamilton estava na casa de um amigo quando o cachorro do colega começou a se debater. Desesperados, os dois começaram a chamar um carro para levar o animal para o veterinário e ninguém queria socorrer. 

Leia Também:  Decreto inclui Linha 2 do metrô de BH em programa de privatizações

“Eu até comentei com ele, que muitas vezes não querem levar o animal que não tem nenhum problema, imagina com ele se debatendo?  Chamei minha esposa e a gente socorreu, eu vi que ninguém queria socorrer e pensei ‘vou começar a levar para ver se dava certo’’, conta. 


O plano funcionou e hoje Taurino transporta todos os tipos de animais de estimação, cachorros, gatos, até passarinhos. Ele costuma fazer de três a quatro corridas ao dia. Seus clientes o conhecem e o chamam pelas redes sociais. 

Amor pelos bichinhos 

Hamilton acrescenta que a maioria das corridas é para levar os animais para os veterinários. Em segundo lugar vem a ida para o pet shop e ocasionalmente, para passeios. “Na semana passada, inclusive, tive muitas chamadas para uma exposição de Pit Bulls que aconteceria em um shopping daqui, em Olinda.” 

Ele revela que a parte que mais gosta do seu trabalho animal é ver como os tutores amam seus bichinhos. “A pessoa que me chama ama muito os animais, são pessoas bem humanas e sensíveis, de bom coração”. Agora, a parte que menos gosta, é que muitas vezes, por conta do trânsito, atrapalha na hora de socorrer os animais de estimação. Mas, tirando isso, Taurino não se imagina fazendo outra coisa. “Para fazer minha profissão tem que amar muito os bichinhos”. 

Além dessas situações de afeto, o motorista também vive histórias divertidas, como a situação que descreve envolvendo um rottweiller e um alto-falante. 

“Teve um transporte que eu fiz, meu carro tem uma pequena parte para o auto falante, eu fui levar um Rottweiler bem novinho que queria porque queria entrar no alto-falante. Foi bem engraçado esse momento, ver um cachorro daquele tamanho tentar entrar lá, mas no final deu tudo certo”.

Fonte: IG PET

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA