Pará

Enem 2020: especialistas dão dicas para o segundo domingo de provas

Publicados

em


Neste domingo (24), mais de 2,6 milhões estudantes em todo o País, com exceção dos candidatos do estado do Amazonas, são esperados no segundo dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Quem compareceu no domingo passado (17), se prepara agora para a próxima fase do exame, que terá 45 questões de Matemática e 45 questões de Ciências da Natureza, em 5h de duração.

Nesta edição, além da tradicional prova impressa, o principal processo avaliativo para o ingresso dos estudantes brasileiros no Ensino Superior, também poderá ser feito de maneira online, através do Enem Digital. Este será o primeiro ano da nova modalidade do exame, marcada para os dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro de 2021.

Com o intuito de ajudar os mais de 166 mil estudantes paraenses que encaram os momentos finais da versão impressa do exame, professores da rede estadual de ensino, especialistas em Enem, deram dicas importantes e pontuaram os principais assuntos que os participantes devem atentar neste segundo dia de provas.

MATEMÁTICA NO ENEM

A matriz curricular referencial de Matemática, no exame, apresenta sete competências que contém 30 habilidades. De modo geral, cada competência é avaliada por um bloco de itens de teste, com o intuito de verificar o nível de proficiência (conhecimento) dos estudantes.

Durante a resolução das questões de Matemática, é essencial acertar as consideradas mais fáceis pelo participante. Como algumas habilidades são avaliadas por dois itens, é desejável que o participante acerte as duas questões para aumentar sua nota, por meio da Teoria de Resposta ao Item (TRI), metodologia utilizada para corrigir a prova.

De acordo com o professor de Matemática, George Christ, é comum que o Enem solicite cálculos longos e com base nisso, há duas formas de contornar esse problema. A primeira consiste em preparar os cálculos e deixar para resolvê-los apenas ao final, pois isso aumenta as chances de simplificar as questões, obtendo números menores, que facilitam as resoluções dos problemas por sua vez.

Leia Também:  Estado amplia atendimento para casos leves e moderados de Covid-19

A segunda maneira de lidar com cálculos longos, é usar valores aproximados, arredondamentos e estimativas, conforme o item for sendo resolvido.

“Geralmente, as alternativas indicam quando é possível usar essas estratégias, uma vez que há opções com valores muito diferentes entre si, que sinalizam quando não é necessário cálculos muito precisos. Também é sempre bom lembrar que um mesmo item pode ser resolvido em muitas ocasiões de maneiras diferentes, então é prudente que o estudante investigue o caminho mais rápido e, portanto, com menos cálculos inicialmente”, explicou o educador.

Segundo o especialista, muitos alunos que vão relativamente bem nas questões problemas, tendem a ir mal nos itens de argumentação e avaliação de propostas de intervenção. “É importante tomar cuidado com as habilidades de argumentação e avaliação de propostas de intervenção, que geralmente compõem de 30% a 40% das questões de Matemática no exame”, enfatizou George Christ.

Operações com números reais, valor posicional, ordem de grandeza, princípios de contagem, porcentagem, áreas de figuras planas, volume de figuras espaciais, triângulos, conversão de unidades de medida, razões especiais (escala, velocidade média etc.), regras de três, grandezas proporcionais, análise de dados em tabelas e gráficos, medidas de tendência central e de dispersão, além de probabilidade, são alguns dos conteúdos de aprendizagem que o Enem avalia em Matemática.

QUÍMICA NO ENEM

De acordo com os educadores, da Seduc, os conteúdos de Química com maior incidência no exame, são estequiometria, termoquímica, propriedades físicas e reações orgânicas, não esquecendo de meio ambiente, pois podem cair questões misturadas até com Biologia, caso dos ciclos bioquímicos, dando uma atenção maior para o nitrogênio.

Os professores salientam que é importante que o aluno tenha tido uma base curricular completa para ter um bom desempenho na prova. O professor da rede estadual ,Thomas Jefferson, disse que os alunos devem atentar para os assuntos mencionados inicialmente.

Leia Também:  Ipem-SP dá dicas sobre compra de produtos na Black Friday

“É importante também que o aluno lembre da eletroquímica, uma reação de transferência de elétrons, da oxidação, da redução, do agente oxidante e redutor, das semi-reações, do cálculo da diferença de potencial (DDP), que na pilha sempre dá positivo; da Eletrólise aquosa do cloreto de sódio que podemos obter soda cáustica, da hidrólise salina relacionado ao processo de calagem, correção do pH e os fatores que deslocam o equilíbrio químico. Tudo isso é muito importante e com certeza vem no Enem”, afirma o especialista em Química.

Segundo o professor Thomas Jefferson, um dos conteúdos mais complicados é a hidrólise salina. Ele aconselhou os candidatos a usarem o seguinte macete. “Quem é fraco nunca fica sozinho, por exemplo, o caso do carbonato de cálcio, muito utilizado no processo de aumento do pH do solo, pois é um sal de caráter básico, em que o ânion carbonato sofre a hidrólise, liberando a hidroxila. Portanto, é importante ficar atento a essas questões no exame”, finaliza Thomas Jefferson.

SERVIÇO

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) observa que os candidatos devem chegar cedo aos locais de provas, para evitar aglomerações. É importante também não esquecer o que é obrigatório, como o uso de máscara durante toda a prova.

Está autorizado ao estudante levar seu próprio recipiente com álcool em gel, como medida de prevenção à Covid-19.

O segundo dia de provas presenciais do Enem 2020 ocorre neste domingo (24).

– Abertura dos portões: 11h30 (horário de Brasília).

– Fechamento dos portões: 13h

– Início das provas: 13h30

– Término das provas: 18h30

*Por Rodrigo Moraes e Vinícius Leal. (ASCOM/SEDUC)

Fonte: Governo PA

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Pará

Pará recebe mais 37.200 doses de vacinas CoronaVac/Sinovac

Publicados

em


Mais uma remessa de vacinas contra a Covid-19 chegou ao Pará, por volta das 23h15 desta quarta-feira (24). Desta vez, desembarcaram em Belém 37.200 doses da vacina CoronaVac/Sinovac, desenvolvida no Brasil pelo Instituto Butantan. Pela manhã já haviam chegado outras 61 mil doses de vacinas Oxford/AstraZeneca, totalizando 98.200 novas doses enviadas ao Estado.

O novo lote vai reforçar a quantidade de vacinas para os grupos prioritários, de acordo com o Plano Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde. Os últimos ajustes para a distribuição já estão sendo feitos, para que as doses cheguem aos municípios a partir desta sexta-feira (26). O envio será feita por via terrestre, aérea e marítima, e contará com o apoio da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup).

Essa é a quinta remessa recebida pelo Pará, contabilizando 414.040 doses enviadas pelo MS ao Estado. Para o secretário de Estado de Saúde Pública, Rômulo Rodovalho, a chegada das novas doses é de suma importância para diminuir os casos da doença.

Leia Também:  Sol aparece entre nuvens e temperaturas não passam de 32°C neste domingo

“A Sespa continua adotando todas as medidas necessárias para combater o aumento do número de casos da Covid-19 e garantir assistência à população do Pará. Transferências de pacientes, aumento do número de leitos nas áreas de maior necessidade, mudança de bandeiramento para restringir a circulação de pessoas, entre outras medidas, foram adotadas, mas é essencial que tenhamos vacinas, pois quanto maior a parcela da população imunizada, menos proliferação do novo coronavírus teremos”, ressaltou o titular da Sespa.

O carregamento de 61 mil doses de vacinas Oxford/AstraZeneca chegou ao Aeroporto Internacional de Belém por volta das 12 h desta quarta-feira (24).

Mais vacinas – O Pará deve receber 1,5 milhão de doses de vacinas contra a Covid-19 até o dia 30 de março. A informação foi repassada pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, ao governador Helder Barbalho, durante reunião na última semana, em Santarém, no oeste paraense.

O governador anunciou na terça-feira (23) que vai comprar 3 milhões de doses de vacinas contra Covid-19 de laboratórios credenciados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de autorizar a aquisição de doses por estados e municípios.

Leia Também:  "Festas Seguras" terá mais de 30 câmeras para monitorar a segurança pública em Salinópolis

Calendário de chegada ao Pará dos lotes de vacinas já enviados pelo Ministério da Saúde:

– 18 de janeiro: 173.240 doses da CoronaVac/Sinovac

– 24 de janeiro: 49 mil doses da Oxford/AstraZeneca

– 25 de janeiro: 29.200 doses da CoronaVac/Sinovac

– 06 de fevereiro: 64.400 doses da CoronaVac/Sinovac.

– 24 de fevereiro: 98.200 doses da CoronaVac/Sinovac (37.200) e Oxford/AstraZeneca (61 mil).

Fonte: Governo PA

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA