MINAS GERAIS

Programa de Liderança para a Retomada Econômica abre inscrições

Publicados

em


Fundação João Pinheiro (FJP) abriu inscrições para o Programa de Liderança para a Retomada Econômica (LRE), anunciado em novembro pelo governador Romeu Zema.

Iniciativa da FJP, em parceria com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), a Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior (Indi), a Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte (Agência RMBH) e a Associação Mineira de Municípios (AMM), o LRE é um curso de capacitação para prefeitos, vice-prefeitos, secretários de Desenvolvimento Econômico e outras lideranças municipais de Minas Gerais.

O principal objetivo do LRE é capacitar gestores públicos para a condução dos processos de retomada econômica. “O Programa desenvolve competências para que gestores de Minas Gerais saibam elaborar diagnósticos, identificar e liderar ações para atrair novos investimentos, desenvolver negócios e impulsionar a geração de empregos por meio de políticas econômicas eficientes”, afirma o presidente da FJP, Helger Marra.

Leia Também:  Dia das Crianças é oportunidade para levar esperança a famílias de desaparecidos

Cada município pode inscrever até dois participantes. Para tanto, a liderança interessada deve preencher, até 8 de fevereiro, o formulário disponível na página do curso no site da FJP. Os participantes serão selecionados pela fundação por meio de uma avaliação de critérios técnicos, sociais e econômicos dos municípios mais afetados pelos efeitos da pandemia no estado.

Para o secretário adjunto da Sede, Fernando Passalio, o curso apresenta ferramentas e instrumentos essenciais na atração de novos negócios. “As cidades mineiras precisam ampliar suas práticas quanto aos atrativos econômicos. Queremos colocar nossos municípios na vanguarda dessas ações como um reflexo do que já temos executado no estado”, aponta.

De acordo com o subsecretário de Desenvolvimento Regional da Sede, Douglas Cabido, o Governo de Minas também pretende estender essas oportunidades para o maior número de municípios. “Estamos prontos para apoiar os prefeitos nesse desafio da aplicação de boas práticas de desenvolvimento econômico, queremos oferecer a oportunidade de qualificação para grande parte dos gestores em Minas”, conclui.

Leia Também:  Governo anuncia novas inscrições ao CNH Social

Ao longo do ano serão capacitadas 300 lideranças de 150 cidades, divididas em seis turmas. Cada uma delas terá 28 horas de formação e oito horas de oficinas com as equipes municipais. A previsão é de que a primeira turma inicie suas aulas no dia 6 de março.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MINAS GERAIS

Secretário de Estado de Saúde visita nova ala de UTI do Hospital Júlia Kubitschek, em Belo Horizonte

Publicados

em


O secretário de Estado de Saúde, o médico neurocirurgião Carlos Eduardo Amaral, visitou nesta quinta-feira (21/1) a nova ala construída para abrigar os 40 leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital Júlia Kubitschek, em Belo Horizonte, referência no atendimento a casos de covid-19 na capital mineira e região. A unidade pertence à Rede Fhemig.

Com a transferência da UTI que já existia para a nova ala recém-construída, o hospital vai oferecer 35 novos leitos de enfermaria para atendimento à covid-19. A previsão é de que, logo após a transferência integral do CTI para as novas instalações, estes leitos já sejam disponibilizados.

O novo ambiente tem estrutura física dividida em grandes salões, desenhada especificamente para atendimento de pacientes com necessidade de cuidados críticos. No local também foi instalado um novo e moderno sistema de ar condicionado central, além feitas reformas na rede elétrica e troca de rede de gases medicinais (oxigênio e ar comprimido).  

Qualificação do atendimento

Para o secretário de Saúde, a estrutura de ponta vai qualificar ainda mais o atendimento às vítimas da covid-19 e deixará um legado na capacidade assistencial de Minas Gerais.

“Esses leitos são completamente adaptados para a prestação de terapia intensiva, inclusive com estrutura para diálise. O CTI tem tudo de melhor do ponto de vista de qualidade assistencial. Isso aumenta o poder que temos para tratar os pacientes e, com o passar do tempo, será um legado. O nosso planejamento era de que tivéssemos leitos abertos para a emergência atual, mas que, passada a pandemia, a Saúde de Minas fosse melhor. Disso não tenho dúvidas”, afirmou.


Fábio Marchetto

Investimento na estrutura

Carlos Eduardo Amaral ressaltou ainda que o investimento na estrutura hospitalar da Região Metropolitana de Belo Horizonte atende a todo o estado e que as unidades estão preparadas para receber pacientes do interior, se houver necessidade. Além disso, o secretário reafirmou o compromisso do Governo de Minas para fazer a distribuição rápida e eficiente da vacina e reforçou a importância de que a sociedade continue se protegendo, mantendo todos os cuidados sanitários durante o período de imunização.

Leia Também:  Previsão do tempo para Minas Gerais neste sábado, 11 de julho

“É fundamental que todos os cidadãos mantenham as medidas de proteção, distanciamento, uso de máscara e higiene, para que consigamos retornar ao novo normal mais rápido. Na medida em que formos vacinando a população de risco, consequentemente teremos menos casos complicados, o que significa menor ocupação hospitalar, uma tranquilidade maior e evolução nas ondas do plano Minas Consciente”, lembrou.

Também participaram da agenda o secretário de Estado de Infraestrutura e Mobilidade, Fernando Marcato; o presidente da Fhemig, Fábio Baccheretti; o diretor-geral do DER-MG, Fabrício Torres Sampaio; entre outras autoridades.

Obra

As obras do Hospital Júlia Kubitschek, iniciadas em maio de 2020, foram realizadas pelo Departamento de Estadas de Rodagem (DER-MG), com valor de R$ 8,7 milhões. A partir desta quinta-feira o espaço já começa a receber os pacientes da unidade hospitalar.

A reforma faz parte de um conjunto de obras divulgado pela Fhemig em 2020, com o objetivo de trazer melhorias gerais a dez unidades da rede, priorizando aquelas que estavam na linha de frente no atendimento aos casos de covid-19.

Vacinas

Nesta terça-feira (19/1), o hospital recebeu as primeiras doses de vacina para imunização dos servidores da unidade. Uma sala de treinamento foi destinada para a imunização dos trabalhadores. Mais de 1,5 mil profissionais da instituição receberão a dose.

Estrutura do HJK

Além dos 40 leitos de UTI Covid, o hospital conta com 90 leitos de enfermaria clínica, assim como maternidade de referência para atendimento de gestantes, puérperas e parturientes com suspeita da doença.

Leia Também:  Vale do Aço e Sudeste regridem e estado passa a ter seis regiões na onda vermelha do Minas Consciente

Desde 16 de março foram internados no local cerca de 2.057 pacientes suspeitos de covid, sendo cerca de 934 confirmados por teste laboratorial. Foram realizados 388 atendimentos de urgência e emergência na maternidade.

Rede Fhemig

Desde o início da pandemia, a Fhemig destinou 105 leitos de UTI ao tratamento da covid-19, sendo 74 na capital (30 no Hospital Eduardo de Menezes; 40 no Hospital Júlia Kubitschek; quatro no Hospital Infantil João Paulo II e dez no Hospital João XXIII) e 31 leitos no interior (21 no Hospital Regional João Penido, em Juiz de Fora, e dez no Hospital Regional Antônio Dias, em Patos de Minas).

Em relação aos leitos de enfermaria, foram 233 designados somente para o atendimento a pacientes suspeitos e confirmados de covid-19, sendo 180 leitos na capital (51 no Hospital Eduardo de Menezes; 90 no Hospital Júlia Kubitschek; 15 no Hospital Infantil João Paulo II e 24 no Hospital João XXIII) e 53 leitos no interior (44 no Hospital Regional João Penido e nove no Hospital Regional Antônio Dias).

Internações

A Fhemig admitiu em suas unidades mais de 8 mil casos suspeitos de covid-19 no ano de 2020, sendo pouco mais de 6 mil em Belo Horizonte e outros 2 mil casos no interior. Entre os casos confirmados, foram 1.817 na capital e 654 no interior. Só o Hospital Eduardo de Menezes recebeu 2.791 suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2, sendo 956 confirmados. O Hospital Júlia Kubitschek, por sua vez, recebeu 1.711 casos suspeitos, sendo 736 confirmados.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA