MINAS GERAIS

Estado divulga resultado do Concurso Retratos da Serra 2020

Publicados

em


Visitantes da Serra do Rola-Moça, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), aguardavam com expectatativa o resultado  do Concurso Retratos da Serra, edição 2020. Nessa terça (12/1), o Instituto Estadual de Florestas (IEF) divulgou as dez fotos selecionadas. 

Realizado anualmente pelo setor de Educação e Turismo do Parque Estadual da Serra do Rola-Moça, a competição atrai diversos fotógrafos e cliques, o que ajuda a divulgar as belezas naturais e a biodiversidade presente na reserva ambiental mantida pelo Governo de Minas.

Autores e premiação

As dez fotografias amadoras e/ou profissionais selecionadas são de visitantes do local, que possui mirantes e outras atrações.

Uma comissão julgadora avaliou as imagens, conforme estabelecido no regulamento da premiação.

As imagens vencedoras serão publicadas, com o devido crédito aos autores, nas redes sociais do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema), no site do IEF e também no Sisema Notícias, publicação semanal produzida pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (Semad).

Recorde

Em prevenção à covid-19 e respeito à restrição de convívio social imposta pela pandemia, a edição 2020 do concurso não contou com a tradicional premiação entregue ao primeiro colocado: entrada e estadia gratuitas em uma das unidades de conservação estaduais.

Leia Também:  Porto dos Gaúchos comemora 57 anos com ações do Governo do Estado em infraestrutura, saúde e repasses em dia

No entanto, apesar de reflexos do coronavírus, houve recorde de inscritos, 39 imagens, maior número nas quatro edições do concurso, criado em 2016. 

De acordo com a monitora ambiental do Parque Estadual da Serra do Rola-Moça e uma das organizadoras do concurso, Sabrina Resende, os critérios de seleção das imagens pela banca julgadora vai além da estética e de conceitos formais relacionados à fotografia. “A analise leva em conta a habilidade de cada participante em registrar com criatividade pontos e locais emblemáticos da Serra do Rola-Moça.”

Vitrine

Sabrina destaca ainda que o concurso, além de funcionar como vitrine para as belezas da Serra sob o olhar pessoal de cada participante, é um convite a aproveitar a natureza, mesmo que seja na tela do computador. “Toda a edição foi realizada de forma virtual e as imagens poderão ser apreciadas em diversos canais de web”, reforça.

Na avaliação do diretor de Unidades de Conservação do IEF, Cláudio Castro, o concurso também valoriza o olhar do visitante e suas percepções sobre o parque. “Podemos descobrir o que mais causou encantamento e significou para eles em suas vivências na Serra do Rola-Moça. Além disso, é uma forma de incentivar à contemplação da natureza e uma ótima maneira de dar visibilidade às nossas belezas naturais”, encerra.

Leia Também:  Governador Romeu Zema anuncia pagamento de nova parcela do 13º salário

Conheça as 10 imagens vencedoras desta edição:

1ª lugar: Ranyeri P. Santos | @ranyeri.palmeira

2° lugar: Leandro da Glória de Paula | @leandro.bh

3° lugar: Henrique Azeredo Murta da Fonseca | @henriquemurta_artgallery

4º lugar: Ludmila Santana Moreira

5º lugar: Farley Nogueira Ramos

6º lugar: André Souza

7º lugar: Bruno Oliveira dos Santos

8º lugar: Maria Letícia Silveira

9º lugar: Ricson Brito Esteves

10º lugar: Warlley Junio Vieira

Biodiversidade

O Parque Estadual da Serra do Rola-Moça se destaca pela riqueza natural, com passeios que revelam ao visitante paisagens de beleza singular e sua biodiversidade. São encontradas espécies da fauna local animais como lobo-guará, onça parda, cachorro-do-mato, veado campeiro, carcará e várias outras espécies de aves. A flora, por sua vez, conta com canela-de-ema, espécie símbolo do parque, além de várias espécies de orquídeas, bromélias e cactáceas.

O nome dado ao parque é homenagem ao escritor Mário de Andrade, autor do poema A Serra do Rola-Moça.

Link p/ baixar as fotos em alta resolução: https://drive.google.com/drive/folders/11J_OQiXfTKBetlLF1XWnoPdDgXlFxi4w

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MINAS GERAIS

Benefício do Garantia-Safra será pago até 30 de janeiro

Publicados

em


Ao todo, 21.987 agricultores familiares de 68 municípios do semiárido mineiro já estão aptos a receber o pagamento do Programa Garantia-Safra, do período 2019/2020. A liberação do benefício, que começou na segunda-feira (18/1) e segue até o dia 30/1, será feita em parcela única de R$ 850. A data pode variar, dentro do período, pois depende do Número de Identificação Social (NIS) de cada agricultor. Ele obedece o calendário de pagamento de outros benefícios sociais, por exemplo, o Bolsa-Família.

“Podem receber os agricultores que se inscreveram em setembro ou outubro e pagaram o valor de R$ 17. É necessário que o município também tenha aderido ao programa, assim como o Estado, uma vez que se trata de uma iniciativa do governo federal realizada em parceria com os governos estaduais, municipais e com os agricultores familiares. Em Minas Gerais nós temos cem municípios inscritos. Por enquanto, os 68 que já comprovaram as perdas receberam”, explica a coordenadora técnica estadual do Programa Garantia-Safra, Eunice Ferreira dos Santos.

Em função da pandemia da covid-19, o governo federal vai continuar pagando de uma vez, o que normalmente é dividido em cinco frações de R$ 170.

Quem tem direito

Têm direito a receber o benefício os agricultores com renda mensal de até um salário mínimo e meio, que plantaram entre 0,6 a 5 hectares de produtos como feijão, milho, arroz, mandioca e algodão, e tiverem perdas comprovadas por estiagem ou excesso de chuva. O prejuízo deve ser igual ou superior a 50% da produção. É necessário que o agricultor possua a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) ativa.

O Garantia-Safra é uma ação do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). O objetivo é garantir a segurança alimentar de agricultores familiares da Região Nordeste do país e de parte de Minas Gerais, em municípios do Norte, do Vale Jequitinhonha e em alguns do Vale do Mucuri.

Leia Também:  Polícia Civil efetua prisão de gêmeos foragidos do estado de Rondônia pelo crime de homicídio

Aprovação

A maior parte dos agricultores familiares do semiárido mineiro contemplado comemora o auxílio que ajuda a amortecer os impactos da seca na região. O recurso é usado, principalmente, para repor gastos com as atividades agrícolas e com a compra de alimentos para a família e para os animais de criação da propriedade.

Carlos Antônio Araújo, da comunidade rural de Calhau, no município de Montes Claros, no Norte do Estado, é um dos contemplados. “É um benefício que ajuda muito a nossa região. Como não temos trator para fazer a gradeação da terra, pagamos o serviço do nosso bolso e repomos com o dinheiro do Garantia-Safra. Também podemos comprar sementes para plantar”, conta. Além de cultivar em sua propriedade, Carlos Antônio planta como meeiro em terras de outro produtor.

O lavrador costuma plantar de 1,5 a 2 hectares de milho, feijão e mandioca todo ano. “A gente gasta muito na plantação. Plantamos porque está no sangue e a gente não aguenta ficar sem essa tarefa, mas a seca castiga muito. Aqui quando a gente colhe milho, não colhe feijão. Quando colhe feijão, não colhe milho. E assim vai”, explica. Ele conta que a região está há duas semanas sem chuvas e prevê que, se não chover nos próximos dias, a tendência é de perder a maioria das plantações. “Se esse ano cair de três a quatro ‘chuvadas’ teremos uma expectativa boa, mas, se não, a colheita será de apenas 40%. No ano passado, na hora de produzir, tivemos perda total de milho e feijão”, revela.

Leia Também:  Romeu Zema determina abertura do Hospital de Campanha em Belo Horizonte 

Em Salinas, no Norte de Minas, o agricultor familiar Antônio Gilberto dos Santos, da Fazenda Canela D’Ema Alecrim, admite que, sem o Garantia-Safra, a família ficaria desamparada. Segundo ele, o município sofre com estiagens prolongadas, que destroem as lavouras, há uma década. Com a próxima parcela de R$ 850, Antônio Gilberto planeja comprar milho para alimentar as galinhas. As aves são criadas para o sustento do grupo familiar, que também costuma plantar milho, feijão, mandioca e algumas hortaliças.

“O Garantia-Safra ajuda muito, muito mesmo, é uma mão na roda para a gente comprar o milho das criações, pois há dez anos estamos perdendo lavouras”, afirma. Ele conta que está com uma lavoura formada pelo plantio de 15 quilos de milho, que comprou com recursos próprios, subsidiados pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais, do qual é sócio. “Alguns pés já estão começando a soltar pendões e estão bonitos, mas tem uma parte da roça que está morrendo. A seca aqui é brava. Tem hora que até os pastos das criações morrem. A temperatura está dando 28, 29, 30 ou mais graus”, relata.

Brasil

Mais de 197 mil agricultores familiares, em 249 municípios de oito estados brasileiros, receberão o pagamento do Garantia-Safra referente à safra 2019/20. Neste mês, terão acesso ao pagamento, agricultores de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco e Piauí. O montante autorizado chegará a mais de R$ 168 milhões. União, estados e municípios, além do próprio agricultor, pagam uma quota-parte para que, no caso de perda de safra, o trabalhador seja reembolsado com um benefício anual e possa ter o risco social diminuído.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA