MATO GROSSO

MT não registrou ocorrência de roubo a instituições financeiras em 2020

Publicados

em


A política de tolerância zero à criminalidade tem demonstrado efetividade com a redução dos principais índices criminais no ano de 2020. Neste contexto, os crimes de roubos e furtos a bancos e outras instituições financeiras, antes muito comuns no estado, não só apresentaram redução, como não tiveram nenhuma ocorrência, como é o caso de roubos consumados. No mesmo período de 2019, foram registrados quatro casos.

Os dados são da Superintendência do Observatório de Segurança da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) e são referentes ao período de janeiro a dezembro. O levantamento ainda aponta que em 2020 houve 13 furtos consumados, enquanto em 2019 este número foi de 29 furtos, ou seja, uma redução de 55%. Vale destacar que a diferença entre roubo e furto é que a primeira consiste no emprego de ameaça ou violência.

A forte atuação das forças de segurança para coibir este tipo de crime demonstrou bons resultados. No caso de roubos tentados, também não houve registros em 2020, enquanto em 2019 foram registradas três ocorrências. Já com relação às tentativas frustradas de furto a bancos, no ano passado 19 ocorrências foram registradas, contra 51 que ocorreram em 2019. Ou seja: uma redução de 63%.

Leia Também:  Mato Grosso evolui para "ótimo" em novo ranking de transparência das aquisições emergenciais

Do modus operandi utilizado pelos criminosos em ocorrências tentadas e consumadas, 55% são de aberturas ou cavidades nas paredes das instituições e 45% dos ataques direcionados a caixas eletrônicos.

O secretário adjunto de Integração Operacional da Sesp-MT, coronel PM Victor Fortes, lembra que desde o início da atual gestão, o programa Tolerância Zero já era uma proposta, que dentre os vários eixos de atuação, também previa o enfrentamento aos crimes contra as instituições financeiras. 

“É um crime que há tempos Mato Grosso tem registrado taxas de redução e a gente atribui isso às ações de prevenção que são realizadas com o apoio da Inteligência, que atua de forma muito integrada entre as instituições estaduais e federais, o que colabora com o monitoramento das organizações criminosas”, destacou Fortes.

O secretário adjunto também pontua que qualquer tentativa de crime contra instituições financeiras é respondida de forma rápida e eficiente, devido à estrutura existente no Estado, desde o apoio aéreo para deslocamento de tropa feito pelo Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), como o trabalho investigativo realizado pela Polícia Judiciária Civil (PJC), e a prevenção e enfrentamento pela Polícia Militar (PM-MT) e suas unidades especializadas.

Leia Também:  Confira lista de municípios com classificação de risco muito alto de contaminação

“Cabe também destacar a parceria com as próprias instituições financeiras, que sempre subsidiam a Sesp com informações, e que também têm feito sua parte relacionada ao reforço dos meios de segurança nas unidades financeiras do estado”, finalizou Fortes.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MATO GROSSO

Governo envia para a Assembleia projeto que prevê multa a empresas e cidadãos que desrespeitaram restrições

Publicados

em


O Governo de Mato Grosso encaminhou projeto de lei que prevê multa para as pessoas e empresas que desrespeitarem as novas medidas restritivas contra o avanço da covid-19.

A proposição foi enviada nesta segunda-feira (01.03) para a Assembleia Legislativa, em regime de urgência, com o objetivo de “conter o aumento exponencial da contaminação causada pelo novo coronavírus, bem como evitar que o sistema de saúde estadual entre em colapso”.

De acordo com o projeto, a multa para as pessoas físicas que descumprirem as normas será de R$ 500. Já as empresas e/ou órgãos públicos que cometerem as infrações terão que pagar R$ 10 mil.

As penalidades serão aplicadas para as pessoas físicas e jurídicas que:

1 – Descumprirem a obrigação de uso de máscara facial em espaços abertos ao público ou de uso coletivo;

2 – Deixarem de realizar o controle do uso de máscaras faciais de todas as pessoas presentes no estabelecimento, sejam elas funcionários ou clientes;

3 – Participar e/ou promover atividades, reuniões ou eventos que geram aglomeração de pessoas, em descumprimento a normas editadas pela autoridade municipal, estadual e/ou federal;

4 – Descumprir a restrição de horários para circulação, conforme estabelecido em normas editadas pela autoridade municipal, estadual e/ou federal;

Leia Também:  Polícia Civil prende quadrilha de roubo de cargas em Guarulhos

5 – Desrespeitar ou desacatar a autoridade administrativa, bem como obstruir ou dificultar sua ação fiscalizadora quando no exercício das atribuições previstas nesta Lei;

6 – Deixar de promover ações fiscalizatórias necessárias ao cumprimento desta Lei, quando se tratar de agente político ou de funcionário público com dever legal de determinar o cumprimento das medidas sanitárias fixadas nesta norma;

7 – Cometerem outras ações consideradas lesivas ao enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente do novo Coronavírus.

As multas

As infrações poderão ser registradas pelo Procon estadual e municipal; pelos órgãos de vigilância sanitária estadual e municipal; Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e outros órgãos municipais com poder fiscalizatório.

A pessoa ou empresa multada poderá recorrer em até 15 dias após a assinatura do auto de infração.

Além da multa, os infratores também poderão ser investigados pelos crimes de infração de medida sanitária preventiva e desobediência, previstos no Código Penal.

Os recursos arrecadados com eventuais multas serão destinados à compra de cestas básicas a serem distribuídas no município onde ocorreu a autuação.

Confira as novas medidas restritivas que passam a valer a partir de quarta-feira (03.03):

Leia Também:  Seciteci apoia campanha Outubro Rosa e distribui mensagens acolhedoras entre os servidores

– De segunda à sexta, proibição de todas as atividades econômicas das 19h às 5h. Aos sábados e domingos, a proibição será após o meio-dia. A exceção fica por conta das farmácias, serviços de saúde, funerárias, postos de gasolina (exceto conveniências), indústrias, transporte de alimentos e grãos, e serviços de manutenção de atividades essenciais, como água, energia e telefone.

– Nos horários permitidos, as atividades econômicas deverão respeitar as medidas de segurança, como o uso de máscara, distanciamento e limitação de 50% da capacidade máxima do local.

– Eventos podem ocorrer dentro do horário permitido, respeitado o limite 30% da capacidade do local, e número máximo de 50 pessoas.

– Os serviços de entrega por delivery seguem autorizados até às 23h.

– O transporte coletivo e congêneres (Uber, 99, etc) podem funcionar normalmente.

– Toque de recolher a partir das 21h até às 5h, com proibição de circulação.

– Nos órgãos públicos estaduais, fica suspenso o atendimento presencial em todas as secretarias e órgãos do governo, com exceção das unidades finalísticas. Quanto a jornada de trabalho, cada secretaria/autarquia vai disciplinar medidas para redução do fluxo de pessoas.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA