MATO GROSSO DO SUL

Dia D: mais de 1,5 mil imóveis devem ser visitados neste sábado na região do Segredo

Publicados

em


O Governo do Estado, por intermédio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), com apoio do Corpo de Bombeiros Militar e da Secretaria Municipal de Saúde, realizou neste sábado (21), o Dia D de combate à Dengue, Chikungunya e Zika, que integra a Campanha “Aproveite a Quarentena e Limpe o seu Quintal”. Ação aconteceu na Escola Estadual Dr. Arthur de Vasconcellos Dias, localizada no bairro Estrela do Sul, em Campo Grande. Além da Capital, a ação deve acontecer ao longo da semana em mais 23 municípios do Estado. 

Segundo o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, os municípios não podem ‘baixar a guarda’. “Peço aos municípios que não se descuidem destas doenças. A Dengue, Zika e Chikungunya estão presentes e apesar de serem doenças sazonais chegam quando voltam as chuvas. Nós precisamos fazer esse combate para evitarmos estar na listagem dos estados com maiores casos de notificações. Só neste ano, já tivemos 42 mortes e mais de 70 mil casos notificados”.

Secretários de saúde do Estado e da Capital, Geraldo Resende e José Mauro , vistoriam quintal de uma casa duranrte o Dia D

Presente no evento, parceiro da SES no Dia D, o secretário municipal de Saúde, José Mauro Filho, lembrou que o município de Campo Grande registra até o momento mais de 18 mil notificações e sete óbitos. “E hoje, nesta ação, os agentes de saúde e de endemias, com apoio do Corpo de Bombeiros Militar, devem visitar mais de 1,5 mil imóveis, incluindo aqueles fechados, na região do Segredo”.

Para a tenente-coronel do Corpo de Bombeiros Militar, Geísa Maria Rodrigues Ferreira Romero, este é um desafio duplo para a corporação. “Nós temos que lutar contra o coronavírus, mas não esquecer do Aedes aegypti. Hoje, nós estamos em uma ação conjunta, trouxemos os nossos caminhões com escadas e drones para que possamos oferecer acesso aos agentes na visualização de possíveis focos do mosquito. Para nós é uma honra prestar esse apoio e compartilhar deste momento. Seguimos o nosso lema: ‘nós somos por você’”. 

Leia Também:  Detran-MS digitaliza documentos antigos, limpa arquivos e ajuda famílias carentes do Estado

Dia D

Os participantes do Dia D vão percorrer as principais ruas do Estrela do Sul. Mas a campanha deve priorizar também os demais bairros com maior registro de incidência de casos de Dengue em Campo Grande.

Corpo de Bombeiros usará drones durante as ações

Em parceria com a SES, o Corpo de Bombeiros Militar disponibilizou cerca de 20 militares, além de drones que deverão auxiliar os agentes na identificação de possíveis focos do mosquito em quintais, calhas, caixa d’águas e telhados. Duas viaturas também deverão dar suporte à campanha, sendo um caminhão Auto Plataforma Área e uma Viatura do Sistema de Comando de Incidentes.

Já nos municípios de Dourados, Corumbá, Ponta Porã, Três Lagoas, Aquidauna, Anastácio, Jardim, Bonito, Nova Andradina, Paranaíba, Coxim, Naviraí, Chapadão do Sul, Caarapó, Fátima do Sul, Ivinhema, Mundo Novo, Maracaju, Porto Murtinho, Aparecida do Taboado, Amambai, Bataguassu e Costa Rica, os militares do Corpo de Bombeiros Militar farão blitze educativas em pontos estratégicos, com trabalho de conscientização à população, ao longo da semana.

Leia Também:  Sobradinho recebe serviços da CEB neste domingo (5)

Como parte da rede de apoio à Campanha da SES, a Sesau disponibilizou cerca de 60 agentes de saúde e de endemias e mais 10 supervisores que farão o mutirão para vistoriar os imóveis, inclusive aqueles que se encontrarem fechados.

Dengue

A doença é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, que também é responsável por transmitir duas graves enfermidades: a Zika e a Febre do Chikungunya. Para controlar a proliferação do mosquito é preciso evitar água parada, em qualquer época do ano, mantendo bem tampado tonéis, caixas e barris de água, caixas d’agua; acondicionar pneus em locais cobertos; remover galhos e folhas de calhas; não deixar água acumulada sobre a laje; encher pratinhos de vasos com areia até a borda ou lavá-los uma vez por semana e fazer sempre a manutenção de piscinas.

Além disso, é importante trocar água dos vasos e plantas aquáticas uma vez por semana; colocar lixos em sacos plásticos em lixeiras fechadas; fechar bem os sacos de lixo e não deixar ao alcance de animais; manter garrafas de vidro e latinhas de boca para baixo; tampar ralos; catar sacos plásticos e lixo do quintal, entre outras medidas que impeçam o acúmulo de água e de sujeiras.

Rodson Lima, SES

Fotos: Chico Ribeiro

Fonte: Governo MS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MATO GROSSO DO SUL

Ozonioterapia ajuda na recuperação de onça ferida em incêndio no Pantanal

Publicados

em


A onça pintada ferida nos incêndios do Pantanal e trazida no início do mês ao CRAS (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres) para tratamento, apresenta melhora significativa e pode retornar ao seu habitat já no início do próximo ano, avalia o veterinário do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) Lucas Cazati. A onça, um macho com cerca de dois anos de idade, vem recebendo tratamento com aplicações de ozônio que tem propriedades cicatrizantes e anti-inflamatórias e o progresso dos ferimentos é visível.

O tratamento de ozonioterapia é feito em parceria com a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e está sendo ministrado pelos professores Breno Fernandes Barreto e Verônica Borges Babo, que acompanham a evolução da saúde do animal. Além das feridas nas patas, a onça estava muito debilitada e desde que chegou ao CRAS tem recebido alimentação balanceada e já ganhou cerca de 8 quilos.

Exame de Raio-X detectou a existência de um projetil no tórax do animal, consequência de um tiro que deve ter sofrido há alguns meses, tendo em vista que a pele já está cicatrizada. O metal será retirado em cirurgia simples de rápida recuperação, o que não deve atrasar o retorno da onça ao seu habitat, disse Cazati, que é o responsável técnico do CRAS.

Leia Também:  Sobradinho recebe serviços da CEB neste domingo (5)

Essa onça e outra, com aproximadamente a mesma idade, foram resgatadas por equipes de voluntários no dia 4 de novembro da região da Serra do Amolar, no Pantanal, e trazidas a Campo Grande em um avião da Força Aérea Brasileira. A outra, também um macho, não resistiu e faleceu horas após ter chegado ao CRAS. No exame de necropsia foi detectado que ela também havia sido vítima de tiro, sendo que a bala estava alojada na região do tórax com estilhaços atingindo os pulmões. Apesar do tiro, a morte do animal teve como causa a quantidade elevada de fumaça que inalou durante o incêndio, segundo revelou o exame.

João Prestes, Semagro

Fotos: Semagro

Fonte: Governo MS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA