Maranhão

Governo intensifica ações de combate ao Aedes aegypti no Maranhão

Publicados

em


Para eliminar focos do mosquito equipes estão intensificando as ações de enfrentamento desde o início do ano (Foto: Divulgação)

O Governo do Maranhão tem intensificado as ações de combate ao Aedes aegypti por todo o Estado, especialmente nas áreas que apresentam alto índice de infestação ou de casos da doença. Entre os serviços, que estão sendo executados pelas equipes da Secretaria de Estado da Saúde (SES), está a nebulização em diversas regiões. Em regionais de saúde, agentes de endemia participam de treinamento para a continuidade do trabalho nos municípios. 

Com objetivo de eliminar o Aedes aegypti e focos do mosquito, equipes do Programa Estadual do Controle das Arboviroses da SES estão intensificando as ações de enfrentamento desde o início do ano. Nas últimas semanas, as ações estão ocorrendo em municípios que compõem as Regionais de Saúde de Presidente Dutra, Itapecuru e Timon.  

“Esse serviço é baseado no resultado do Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa), que sempre monitoramos. Priorizamos os municípios com o maior índice de infestação e, no caso do município que não fez o levantamento de índice, estamos considerando a notificação de casos. Nossa avaliação é permanente e, a partir do cenário, vamos direcionando os trabalhos”, afirma a coordenadora do Programa Estadual do Controle das Arboviroses, Graça Lírio. 

Leia Também:  Instituições religiosas recebem mais de 1,5 mil cestas básicas e cobertores do Governo

O monitoramento é feito a partir do Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa) e do Levantamento de Índice Amostral (LIA), para municípios com número de imóveis inferior a 2 mil. Os índices têm servido para nortear as estratégias de controle do vetor, como uso de carros UBV (fumacê), bombas costais e visitas domiciliares. 

Para que o trabalho com os carros UBV (fumacê) seja efetivo, a população deve colaborar com alguns cuidados, como deixar a casa aberta, retirar os animais domésticos, cobrir os alimentos e utensílios domésticos, retirar as roupas de cama, entre outros. Além disso, a população deve permanecer atenta às medidas de prevenção. Os cuidados incluem não deixar acumular água em garrafas, pneus, entre outros.  

Treinamento

Para a continuidade do trabalho de combate ao Aedes aegypti nos municípios, regionais de saúde estão promovendo novas capacitações. Na Regional de Saúde de Rosário, os novos agentes de endemias, coordenadores e supervisores estão passando por treinamentos introdutórios. De acordo com a gestora da Regional de Saúde de Rosário, Laydiany dos Santos Frazão, o treinamento foi necessário, pois 67% dos doze municípios que compõem a regional tiveram mudanças na gestão.

Leia Também:  Governo anuncia ampliação de Poupatempo de 75 para 340 unidades

“O objetivo do treinamento é orientar os técnicos dos municípios sobre as suas atividades, ações e programas a serem desenvolvidos em campo”, destaca a gestora. Entre os temas abordados durante o treinamento estão os conceitos de controle vetorial e Vigilância Epidemiológica; a coleta de lâminas para malária; o Índice de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) supervisão; o Índice de Infestação Predial (IIP); Índice de Breteu (IB); a nota técnica sobre o uso do inseticida Fludora Fusion e a sanitização de ambiente ao combate do Coronavírus.

Dados

Até o momento, não há casos confirmados de dengue, Zika vírus, Chikungunya ou febre amarela em todo Maranhão. Em 2020, o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) registrou 34 casos confirmados de dengue, três de Chikungunya e seis de Zika vírus. A redução do número de casos em relação ao mesmo período do ano anterior é de 2,85%, 80% e 25%, respectivamente.

Fonte: Governo MA

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Maranhão

Maranhão confirma primeiro caso da variante P.1

Publicados

em


A Secretaria de Estado da Saúde (SES) recebeu da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) o resultado do primeiro caso confirmado da variante P.1 da Covid-19, nesta sexta-feira (26). A variante, identificada originalmente no Amazonas, torna o coronavírus mais contagioso, segundo estudos preliminares.

O primeiro caso confirmado no Maranhão trata-se de pessoa do sexo feminino, de 35 anos, residente no município de Paço do Lumiar, guarda municipal de São Luís, sem histórico de viagem.

A paciente apresentou sintomas suspeitos da Covid-19 com tosse, mialgia, perda de olfato e paladar. Sem comorbidade, cumpriu quarentena em isolamento domiciliar, com plena recuperação.

O exame RT-PCR foi coletado no Hospital São Luís e enviado ao Laboratório Central de Saúde Pública do Maranhão (Lacen/MA) que encaminhou a amostra à Fiocruz.

Nota Informativa

O Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde do Maranhão (Cievs/MA) emitiu nota informativa para os 217 municípios maranhenses em alerta a detecção da variante P.1 no estado.

O documento traz recomendações sobre a intensificação do uso de máscara, higienização das mãos, vacinação dos grupos prioritários e distanciamento social.

Leia Também:  Sefaz disponibiliza parcelamento de débitos do Fundo de Combate à Pobreza

Variante

De acordo com o Ministério da Saúde, a variante brasileira, chamada P.1, já foi identificada nos estados do Amazonas, São Paulo, Goiás, Paraíba, Pará, Bahia, Rio Grande do Sul, Roraima, Minas Gerais, Paraná, Sergipe, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Ceará, Alagoas, Pernambuco, Piauí e, agora, no Maranhão.

Fonte: Governo MA

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA