DISTRITO FEDERAL

Turismo cresce 25,6% após ações de estruturação

Publicados

em


Reabertura do comércio e reinício dos eventos no DF foi alvo de planejamento e ampla discussão entre poder público e iniciativa privada | Foto: Setur-DF

As atividades turísticas tiveram um aumento de 25,6% no mês de agosto no Distrito Federal, segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice ficou acima da média nacional (19,3%), o que demonstra o reaquecimento do setor com a retomada de uma economia enfraquecida pela pandemia de Covid-19.

O Distrito Federal teve desempenho superior a tradicionais destinos turísticos brasileiros, como São Paulo (15,8%), Rio de Janeiro (15%), Santa Catarina (16,3%) e Pernambuco (12,7%). Segundo a secretária de Turismo do Distrito Federal, Vanessa Mendonça, a reação de Brasília é reflexo das ações de estruturação elaboradas durante a crise sanitária.

“Temos uma rede hoteleira amplamente diversificada e somos a única cidade brasileira ligada a todas as capitais por avião, inclusive com conexões regionais em expansão”Vanessa Mendonça, secretária de Turismo

“Durante a pandemia buscamos intensificar o diálogo com empresas, organizações e o setor público para estruturar o setor e evitar que perdêssemos o que vínhamos construindo desde 2019. Nossas ações proporcionaram que a retomada fosse segura e organizada. Brasília está mais do que preparada para receber, novamente, os turistas de braços abertos”, destacou Vanessa.

Parceiro de primeira hora da Setur-DF, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, diz que o desempenho do setor é uma resposta positiva das ações tomadas tanto pelo governo federal quanto pela coordenação dos estados para a sobrevida do setor. “A nossa preocupação era ajudar o setor a não desmontar, e podemos ver que o trabalho realizado deu certo. Esperamos ver o turismo brasileiro de volta aos trilhos do crescimento, observando todos os protocolos de biossegurança e garantindo destinos seguros para os nossos turistas. Dessa forma, o turismo vai seguir desempenhando sua vocação de contribuir para a geração de emprego e renda no nosso país”, enfatizou.

129 milviajantes passaram pelo Aeroporto de Brasília no Dia das Crianças

A reabertura das atividades comerciais e o reinício da realização de eventos no Distrito Federal foi alvo de planejamento e ampla discussão junto ao poder público e a iniciativa privada. A discussão intersetorial do Governo do Distrito Federal com os setores econômicos teve como resultado o Decreto nº 41.214, publicado em 21 de setembro, que liberou diversas atividades temporariamente proibidas ou restritas desde o início da pandemia, em março.

No setor de eventos a retomada será gradual. O decreto liberou, já a partir do dia 6 de outubro, eventos para até 100 pessoas, ampliando tal capacidade para até 300 pessoas a partir de 27 de outubro, até 500 pessoas a partir de 17 de novembro, até mil pessoas a partir de 8 de dezembro e acima de mil pessoas a partir de 5 de janeiro de 2021.

Cuidado absoluto

Leia Também:  DF ganha mais de 100 papa-recicláveis

Segundo a Secretaria de Turismo (Setur-DF) todos os cuidados estão sendo tomados para garantir a segurança dos eventos e, acima de tudo, das pessoas. “Ainda em junho lançamos o Manual de Boas Práticas no Combate à Covid-19, em parceria com a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do DF, que orientou todo o setor hoteleiro na proteção de colaboradores e hóspedes”, lembra a titular da pasta.

“Desde então discutimos com diversos setores todas as medidas necessárias para garantir um retorno seguro dos turistas, que já estão retomando seus planejamentos de férias, e do setor corporativo”, completa Vanessa Mendonça.

Infraestrutura do DF e tendências de turismo neste novo momento privilegiam chegada de turistas a Brasília, aponta Vanessa Mendonça | Foto: Setur-DF

A perspectiva é de que as próximas avaliações do IBGE já apontem um maior crescimento das atividades de setembro e outubro. Segundo dados da Inframerica, o Aeroporto de Brasília fechou agosto com 401.316 passageiros, um crescimento 54,1% superior ao de julho. Foi o quarto mês consecutivo, desde o início da pandemia, em que o terminal da capital federal registrou aumento no fluxo de viajantes.

Os feriados de 7 de setembro e de 12 de outubro também tiveram movimentação significativa, com 109 mil e 129 mil passageiros no aeroporto, respectivamente. Para o executivo-chefe de Negócios Aéreos da Inframerica, Roberto Luiz, a retomada das operações vêm acontecendo de forma gradual, mês a mês, e a confiança dos passageiros tem aumentado.

“Fizemos diversas adequações no nosso terminal, assim como as companhias aéreas, e isso está trazendo mais confiança para o usuário. O trabalho está sendo realizado com muita cautela e atenção para que os passageiros possam voar com mais tranquilidade”, assegura.

O Índice de Atividades Turísticas integra a Pesquisa Mensal de Serviços do IBGE e leva em conta toda a cadeia do turismo, com abordagens técnicas sobre o desempenho dos setores de transporte aéreo de passageiros, restaurantes, hotéis e equipamentos turísticos. Vanessa Mendonça aponta ainda que a infraestrutura do Distrito Federal e as tendências do turismo neste novo momento privilegiam a chegada de turistas a Brasília.

“Temos uma rede hoteleira amplamente diversificada e somos a única cidade brasileira ligada a todas as capitais por avião, inclusive com conexões regionais em expansão. E Brasília reúne tudo, desde o turismo rural ao turismo gastronômico, passando pelo ecoturismo e nossas belezas arquitetônicas”, arremata a secretária de Turismo.

 

Leia Também:  Seciteci entrega diplomas para formados no curso de Guia de Turismo

* Com informações da Secretaria de Turismo

Fonte: Governo DF

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

DISTRITO FEDERAL

Setur premia mestres artesãos e pioneiros do DF

Publicados

em


A artesã Antonia Lopez do Nascimento, entre as secretárias de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha, e de Turismo, Vanessa Mendonça: “A gente faz arte por amor, com o coração” | Foto: Gustavo Alcântara/Setur

Em iniciativa inédita do GDF, o trabalho do artesão como veículo de transformação social ganha merecido reconhecimento. Nesta terça-feira (27), a Secretaria de Turismo (Setur) lançou a I Mostra Pioneiros – Mestres Artesãos, que reúne farto material produzido em décadas de trabalho desses profissionais, cuja arte mistura todas as culturas de diferentes regiões do país.

Com a presença de autoridades, os pioneiros e artesãos foram homenageados pelo valor de suas obras na consolidação da identidade cultural de Brasília. São 125 peças de 26 artistas que ficarão expostas até 15 de novembro na Casa de Chá, na Praça dos Três Poderes.  O objetivo da Setur, destacou a titular da pasta, Vanessa Mendonça, é valorizar o artesanato, impulsionar a economia e incentivar o reconhecimento desses mestres.

“Atuamos para disponibilizar espaços para a comercialização do artesanato produzido aqui no Distrito Federal, e assim proporcionar geração de emprego e renda” Vanessa Mendonça, secretária de Turismo

Atualmente, a Setur tem mais de 10,5 mil profissionais do artesanato cadastrados. “Não é trabalho de assistencialismo”, pontuou Vanessa Mendonça. “Atuamos para disponibilizar espaços para a comercialização do artesanato produzido aqui no Distrito Federal, e assim proporcionar geração de emprego e renda”, afirmou.

Homenagens

Os artistas receberam diplomas de reconhecimento com chancela do Programa de Artesanato Brasileiro (PAB) e do Sebrae DF pelas mãos de representantes de diversos órgãos do GDF, como a secretária da Mulher, Ericka Filippeli; a titular da Secretaria Extraordinária da Pessoa com Deficiência, Rosinha da Adefal;  o subsecretário de Microcrédito e Economia Solidária da Secretaria do Trabalho (Setrab), Alex Barreto; a analista do Sebrae-DF Natália Fabrino; a organizadora da exposição e mestre-artesã Roze Mendes e os deputados federais Roberto de Lucena e Julio Cesar.

Confeccionado por  Omar Franco, o troféu de honra ao mérito foi entregue aos artesãos Tião Piauí  (trabalhos em fibras), Cleizeane Ribeiro (esculturas de argila), Divino Faleiros (buritis), Randall Felix (esculturas em madeira), Antônia Lopes de Oliveira (capim-verde), Maria Apolinária e Maria Dalva (ambas destaques com obras feitas de flores do Cerrado).

Leia Também:  Confiança da indústria cresce 12,5 pontos na prévia de julho

Arte com amor

Nascida em Paracatu (MG), Maria Dalva, 68 anos, aprendeu o artesanato por necessidade e repassou o conhecimento para sua filha, Verônica Brilhante, e para Roze Mendes. “Criei os meus filhos fazendo artesanato”, conta. “Tudo que eu tenho, tudo que sou, ganhei do artesanato”.

Verônica, que hoje aprimora sua técnica com Roze Mendes, também discípula de sua mãe, ficou emocionada com a homenagem ao trabalho da mãe. “É o primeiro governo que reconhece esses talentos”, destacou.

Já Antonia Lopez de Oliveira, 80 anos – a mais idosa do evento -, diz que estava “no fundo do poço”, com todo o material produzido trancado em um baú. “Foi quando essa moça, Vanessa Mendonça, me descobriu e foi me buscar”, relatou. “A gente faz arte por amor, com o coração”.

Produção intensa

As obras que integram esta primeira edição da Mostra Pioneiros – Mestres do Artesanato de Brasília foram selecionadas por uma comissão composta por Ana Beatriz, representante do Programa do Artesanato Brasileiro; a arquiteta Angelina Nardelli Quaglia; a jornalista e designer de interiores Jane Godoy; Juliana Rocha, representante do Sebrae;  a especialista e consultora em assuntos relacionados ao artesanato Malba Trindade; o artista plástico Omar Franco e a secretária de Turismo.

A força do artesanato para a cadeia econômica da cidade se mostrou já no início do evento. Algumas peças em exposição foram vendidas para turistas do Paraná e do Rio de Janeiro, antes da abertura oficial da mostra. Para fortalecer ainda mais esse setor, a Setur vem incentivando o artesanato típico do DF, que dá vida à matéria-prima fornecida pelo Cerrado.

A secretária Vanessa Mendonça citou algumas das ações já desenvolvidas, como a abertura de duas lojas em shoppings de Brasília para artesãos do DF, além de participação em feiras nacionais e internacionais. Somente em 2019, o setor movimentou mais de R$ 871,5 mil.

Leia Também:  Turismo religioso impulsiona empreendimento hoteleiro em Bandeirantes

Casa do Artesão

A Setur também atua junto à Subsecretaria de Microcrédito e Economia Solidária da Secretaria de Trabalho para oferecer linhas de crédito especiais à categoria. O próximo passo, adianta a secretária de Turismo, é a construção da Casa do Artesão, que será um centro de referência do artesanato brasiliense.

A secretária de Desenvolvimento Social e primeira-dama do DF, Mayara Noronha Rocha, destaca que essas ações são imprescindíveis para fomentar o setor. “É por isso que um evento desse porte se faz necessário, para que a gente realmente valorize a cultura do artesão, para que a gente crie na população a vontade de investir, de acreditar nessa potência”, resume.

“Um evento desse porte se faz necessário para que a gente realmente valorize a cultura do artesão, para que a gente crie na população a vontade de investir, de acreditar nessa potência” Mayara Noronha Rocha, secretária de Desenvolvimento Social

O coordenador cultural da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur), Mário Pilar, destacou a alta demanda pelo artesanato brasileiro no exterior. Em 2019, a instituição, que é parceira da Setur, proporcionou a presença dos artesãos do DF em feiras realizadas em Londres (Inglaterra) e em Buenos Aires (Argentina). “O compromisso que nós teremos é disponibilizar em cada estande da Embratur [Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo], não só no país, mas no exterior, peças do artesanato brasileiro”, assegurou.

Já o coordenador de Relações Governamentais na Apex-Brasil, general Elias Rodrigues Martins Filho, ressaltou as oportunidades que o artesanato pode trazer para atrair investimentos para o país: “Uma exposição como essa reúne a riqueza do talento dos nossos artistas e expõe, ainda, um enorme potencial que temos tanto para atração de investimentos quanto para fazer evoluir esse setor a ponto de exportamos para fortalecer a nossa economia”.

* Com informações da Setur

Fonte: Governo DF

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

FAMOSOS

DISTRITO FEDERAL

SEGURANÇA

MAIS LIDAS DA SEMANA