DISTRITO FEDERAL

Mais um incentivo para o comércio do DF

Publicados

em


Shopping Popular de Ceilândia tem autorização para funcionar de segunda a segunda | Foto: Lúcio Bernardo Jr/ Agência Brasília

O decreto assinado pelo governador Ibaneis Rocha que acabou com as restrições no horário de abertura dos shopping centers abre espaço para a ampliação do funcionamento do comércio no fim de ano e estimula a recuperação econômica do Distrito Federal.

As feiras também devem começar a funcionar além dos dias de costume. Publicada na edição da última segunda-feira (16) do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF), uma ordem de serviço autoriza abertura das feiras permanentes e do Shopping Popular de Ceilândia de segunda a segunda.

­­Mesmo com esse novo esquema de funcionamento dos shoppings até mais tarde, os protocolos e medidas de segurança recomendados pelas autoridades sanitárias continuarão sendo observados. Os clientes devem usar máscaras e manter distância mínima de dois metros entre si, e o estabelecimento tem de oferecer álcool gel para a higienização das mãos.

“Esse decreto do governador é muito importante”, avalia o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio), Francisco Maia. “Ampliar o horário também é uma forma de evitar aglomerações, pois os consumidores terão mais tempo para fazer compras.”

“Ampliar o horário também é uma forma de evitar aglomerações, pois os consumidores terão mais tempo para fazer compras” Francisco Maia, presidente da Fecomércio

Ceilândia

Leia Também:  Terminal de Santa Maria já tem 20% da obra executada

Em Ceilândia, a autorização para o comércio funcionar um dia a mais vai até 5 de janeiro do 2021. Atualmente, as feiras – que não têm mais nenhuma restrição de funcionamento por causa da pandemia – abrem de terça-feira a domingo. A medida é uma forma de estimular as vendas de fim de ano e fomentar a economia e o desenvolvimento local.

“As feiras foram um dos últimos segmentos a receberem autorização para abrir, passaram meses fechadas”, observa o chefe de gabinete da Administração de Ceilândia, Cléber Machado. “Os comerciantes precisam recuperar as vendas”.  Ceilândia tem a feira central, outras seis permanentes e o Shopping Popular. A Secretaria de Cidades (Secid) estuda a possibilidade de aplicar a medida em outras regiões administrativas.

Negociação trabalhista

Comum nos dias anteriores ao Natal, a ampliação do horário funcionamento do comércio depende de um acordo entre comerciantes e comerciários. Com o fim das restrições, o Sindicato do Comércio Varejista do DF (Sindivarejista) vai iniciar as discussões e negociar com o Sindicato dos Empregados no Comércio do DF (Sindicom) a abertura e as horas excedentes de trabalho dos funcionários.

Leia Também:  Cooperativa cearense renova a certificação "Comércio Justo Europeu" por mais quatro anos

Normalmente, os shoppings funcionam duas horas a mais no período natalino – das 9h às 23h. Mas a adesão à ampliação depende de cada lojista. “Precisamos também saber do interesse dos empresários de abrir as lojas”, pondera o consultor jurídico do Sindivarejista, Auro Vidigal. “Muitos reclamam dos custos, como pagamento de horas extras, adicional noturno e até contratação de mais funcionários, porque os vendedores não podem trabalhar mais de dez horas por dia, contando duas horas extras”.

A convenção coletiva assinada entre patrões e empregados estabelece que, em 24 e 31 de dezembro, as lojas funcionam em horário especial. Na véspera de Natal, o comércio fica aberto até as 19h, mas os empregados continuam a atender consumidores que estiverem dentro das lojas depois que as portas fecharem. Na véspera de ano-novo, o expediente será encerrado às 15h. E, em 25 de dezembro e 1º de janeiro, o comércio não funciona.

Fonte: Governo DF

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

DISTRITO FEDERAL

Operação Quinto Mandamento aborda quase 400 pessoas em seis RAs

Publicados

em


Foto: Divulgação/Detran
A atuação tem como foco a prevenção e repressão de crimes relacionados aos crimes violentos contra a vida | Foto: Divulgação/Detran

Com foco na redução dos crimes contra a vida, a Operação Quinto Mandamento passou, no final de semana, por Ceilândia, São Sebastião, Recanto das Emas, Gama e Sudoeste. A ação integrada, coordenada pela Secretaria de Segurança Pública do DF (SSP-DF), reuniu as forças de segurança, além de outros órgãos. Durante as abordagens, realizadas de forma conjunta pelas polícias Civil e Militar, foram consultados antecedentes criminais das 373 pessoas, por exemplo. No total, 150 servidores participaram da ação.

O Detran-DF também montou barreiras nas cidades e consultou a situação de 50 veículos, com apoio do DER-DF. Dois veículos foram apreendidos e nove pessoas foram autuadas por alcoolemia. Bombeiros militares orientaram 11 estabelecimentos comerciais sobre a importância de manter em dia a documentação e, também, fizeram exigências, como a instalação de saídas de emergência.

150servidores participaram da ação, em cinco regiões administrativas

A atuação tem como foco a prevenção e repressão de crimes relacionados aos crimes violentos contra a vida, como explicou o secretário-executivo de Segurança Pública, delegado Júlio Danilo. “Estamos atuando na repressão ao tráfico de drogas e do porte ilegal de arma, que estão diretamente ligados aos homicídios. Além disso, durante as ações percebemos que a  presença do Estado nessas regiões tem um impacto positivo que resulta numa maior sensação de segurança da população”, argumenta.

Fiscalização

O comprometimento dos participantes sob a coordenação da Subsecretaria de Operações Integradas (Sopi), da SSP-DF, contribui para o sucesso da operação, segundo o secretário de Segurança, delegado Anderson Torres. “Esta é uma operação contínua, realizada com base em manchas criminais, ou seja, de acordo com locais, dias e horários em que os crimes ocorrem nas regiões administrativas, mapeados pelas subsecretarias de Inteligência (SI) e de Gestão da Informação (SGI). Nosso objetivo é manter a redução de crimes conquistados no primeiro semestre deste ano e superarmos nossos resultados, que tem sido cada vez mais positivos”, afirmou.

O DF Legal também participou da operação e fiscalizou 46 estabelecimentos. “A participação do DF Legal nas operações contribui com a redução da criminalidade, que é o foco da operação. Verificamos desde a documentação de autorização de funcionamento aos protocolos sanitários estabelecidos para coibir a disseminação da Covid-19 e as aglomerações”, disse o subsecretário de Atividades Econômicas da DF Legal, Francinaldo Oliveira. 

*Com informações da Secretaria de Segurança Pública

Fonte: Governo DF

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Sejuv divulga resultado definitivo dos Projetos da Lei de Incentivo ao Esporte
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA