DISTRITO FEDERAL

Iges-DF ouve demandas da UPA de Sobradinho

Publicados

em


O primeiro encontro do ano do Em Pauta, projeto que promove o diálogo da Vice-Presidência do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (Iges-DF) com seus colaboradores, foi realizado nesta terça-feira (12) na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Sobradinho. A iniciativa visa aprimorar o atendimento oferecido nas unidades do instituto a partir da conversa direta com os trabalhadores.

Entre os temas abordados estiveram infraestrutura e manutenção da UPA; políticas de gestão e dimensionamento da equipe; tratamento humanizado; e integração dos profissionais. Em média, 15 minutos foram destinados para cada tema.

A previsão é que todas as unidades do Iges — Hospital de Base, Hospital Regional de Santa Maria e as demais UPAs, com exceção da de Ceilândia, que recebeu o evento em novembro passado — sejam visitadas até 11 de fevereiro.

“O Em Pauta é uma ação necessária, que tem como objetivo melhorar nossos serviços a partir dessa comunicação direta com os colaboradores. É importante, cada vez mais, estar próximo das nossas unidades para dar o suporte necessário, conhecendo a realidade e contribuindo com o que for preciso”, destacou Mariela Souza de Jesus, vice-presidente do Iges .

Leia Também:  11.529 novos beneficiários passam a receber o cartão Prato Cheio

Temas do Em Pauta na UPA de Sobradinho

Para a analista de gestão de pessoas Yone Sousa, 37 anos, uma das maneiras de solucionar as dificuldades seria alinhar mais os fluxos de trabalho nas unidades do Iges. “Acredito que todos os locais deveriam obedecer aos mesmos protocolos e seguir padrões para um trabalho mais uniforme e harmonizado.”

A proposta também foi aprovada pela colega de profissão Helen Martins, 43 anos, coordenadora administrativa. “Isso é tão importante e produtivo porque, para conhecer nossa realidade, é necessário saber realmente do que a gente precisa. Me senti valorizada”, agradeceu.

A partir das demandas, a vice-presidente, com os setores competentes, vai apresentar propostas e dar respostas aos participantes. “A conversa com os colaboradores da UPA de Sobradinho possibilitou conhecer mais de perto a realidade vivenciada por eles e compreender as necessidades para melhor funcionamento da unidade. Discutiremos, com os demais setores, as sugestões apontadas para solucionarmos as questões colocadas por eles”, destacou Mariela.

Em Pauta  

Leia Também:  Saúde usa drone em ação contra dengue em Taguatinga

O Em Pauta faz parte do programa Reconhecer, que promove ações com foco na valorização dos colaboradores do Iges. “O projeto Em Pauta estimula os participantes para, além de falarem sobre suas necessidades, sugerirem soluções que reforcem os valores da instituição”, explicou Tatiane Pereira, analista de Treinamento do Instituto.

O encontro também ajuda a aproximar a gestão da UPA de seus colaboradores. “A gente estimula o máximo de participações. Ouvir os colaboradores e a visão de cada um traz mais pluralidade e melhorias ao nosso atendimento”, apontou Janaína Almeida, gerente da UPA de Sobradinho.

*Com informações do Iges-DF

Fonte: Governo DF

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

DISTRITO FEDERAL

Estudantes descobrem Planaltina pelo grafite

Publicados

em


Trabalhos expostos no Complexo Cultural de Planaltina inspiraram os estudantes | Fotos: Marina Gadelha/Secec

Com 10 anos, Emily Vitória Moreira tinha a arte distante de seu cotidiano, em pequenas gravuras dos livros didáticos. A impressão se transformou quando a sua turma do quinto ano do Centro de Ensino Fundamental 02 foi convidada a integrar uma ação educativa no Complexo Cultural de Planaltina (CCP), espaço cultural coordenado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec).

Ao se deparar com os muros grafitados expostos nas aulas on-line do projeto Planaltina Arte Urbana, ela ampliou sua concepção sobre arte – passou a focar na experiência proporcionada pela apreciação das peças. “Quando eu ouvia a palavra arte em sala de aula, logo me vinham à cabeça os museus e as obras dos livros; com esse projeto, pude perceber que a arte está em tudo e mais um pouco”, conta.

Batizada de Educativo – Planaltina Arte Urbana, a ação que o CCP promove neste verão tem por objetivo efetivar o intercâmbio entre escola e cultura de modo a estimular e criação artística na cidade e continuar a formação de público para o espaço cultural, aberto há dois anos.

Leia Também:  Acusada de concorrer para a morte da mãe é julgada pelo Júri de Sobradinho

Releituras

Com o tema Planaltina: Patrimônio, Cultura e Identidade de uma Cidade Centenária em diálogo com a cultura hip-hop, as crianças, após contato com o caderno temático elaborado pelo espaço cultural, são convidadas a fazer uma releitura dos grafites, de acordo com a afinidade de cada um.

Os croquis feitos pelos alunos serão expostos nas redes sociais do CCP. “A intenção é que esse piloto seja divulgado e possamos nos próximos bimestres atuar com mais escolas que tenham interesse”, explica a supervisora educativa do CCP, Rayane Cristina.

Professor de Artes do Centro de Ensino Fundamental 02, Hiago Smanioto ressalta que o tema central do projeto chamou sua atenção principalmente por estar muito presente na cultura local de Planaltina. A partir dessa proposta, Hiago teve a oportunidade de conciliar um conteúdo das artes com a vivência dos estudantes, que estão rodeados pela expressão cultural do grafite.

Diálogos da arte

“Além de retomar a história de Planaltina com seus monumentos históricos e expressões culturais, o projeto também serviu como estímulo para debater sobre o racismo, o espaço da mulher no grafite, mostrando que a arte não tem limites e que todos podem e devem se expressar artisticamente e vivenciar a cultura de forma livre”, explica o educador.

Leia Também:  Segundo turno das eleições e demandas da população a prefeituras são tema na tribuna

A estudante Júlia Paulino, 12 anos, justificou a escolha do seu croqui pelo estilo do traço. A partir da obra do grafiteiro Guga Baygon, que representa a fé de uma idosa com elementos religiosos e cenários tradicionais de Planaltina, a aluna elaborou sua releitura com fidelidade ao trabalho do artista. “O desenho do Guga chamou a atenção principalmente pelos detalhes aplicados no grafite, sem falar na sensação de luz e sombra”, analisa. “Eu adoro o amor que os artistas colocam no grafite; eles expressam todo o dom deles”

* Com informações da Secec

Fonte: Governo DF

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA