DISTRITO FEDERAL

Distribuídos equipamentos de hospital desativado

Publicados

em


Itens foram distribuídos entre diversos hospitais da rede pública do DF | Foto: Breno Esaki/Agência Saúde

Os equipamentos do Hospital de Campanha do Mané Garrincha, desativado em 15 de outubro, já estão distribuídos entre toda a rede pública de saúde. Como previsto no contrato, após o fechamento da unidade, todos os materiais foram incorporados ao patrimônio da Secretaria de Saúde (SES).

“Essa distribuição vai proporcionar a abertura de vagas que estavam bloqueadas e equipar melhor os leitos de UTI [Unidade de Terapia Intensiva] da rede”, explica o secretário-adjunto de assistência da SES, Petrus Sanchez. “Além disso, vai abrir novas vagas nos hospitais regionais do Guará e de Taguatinga e modernizar alguns serviços, como o de pneumologia do Hospital Regional da Asa Norte, que adquiriu um broncoscópico que era do hospital de campanha.”

Os critérios de divisão dos quantitativos foram decididos com base no objetivo da ação: desbloqueio de leitos, criação de unidades de cuidados intermediários (UCIs) e substituição de equipamentos das UTIs da rede.

Distribuição entre hospitais

Entre os equipamentos, há camas hospitalares, bombas de infusão, monitores multiparamétricos, ventiladores pulmonares, respiradores, gasômetros, aparelhos de raios-X portáteis, maca para transporte, carro de parada, geladeira para conservação de sangue, biombos e cadeiras de roda.

Leia Também:  Casamento comunitário: inscrições até 8 de outubro

Todas as superintendências regionais e unidades de referência distritais foram contempladas, bem como o Hospital de Campanha de Ceilândia, que ficará equipado para retaguarda de leitos de Covid-19, caso ocorra uma segunda onda da doença.

As demais unidades beneficiadas com os equipamentos são os hospitais regionais de Taguatinga (HRT) e de Samambaia (Hrsam), Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib), Hospital de Apoio de Brasília (HAB) e Hospital São Vicente de Paulo (HSVP).

* Com informações da SES

Fonte: Governo DF

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

DISTRITO FEDERAL

Trabalhos de manutenção por todo o Guará

Publicados

em


Trabalhos incluem a construção de calçada em becos que darão conforto aos moradores | Foto: Divulgação/GDF Presente

Para manter o cuidado regular nas vias e áreas públicas do Guará I e II, equipes do GDF Presente iniciaram esta semana uma força-tarefa que inclui roçagem da grama do kartódromo, frisagem de meios-fios, vistoria em bocas de lobo e até a construção de uma calçada de 52 metros entre dois conjuntos residenciais.

Essa foi uma conquista comemorada pela professora aposentada Lelia Carvalho, 76 anos. Moradora da QE 15 do Guará I, ela conta que nos dias chuvosos era um problema atravessar o beco em frente à sua casa para chegar mais rápido à parada de ônibus. “A passagem era gramada, e era só chover que enchia de água e molhava os sapatos inteirinhos”, lembra. Agora, com a calçada, o problema chega ao fim. “Eu adorei porque é uma coisa que a gente vinha pedindo há muitos anos e ninguém nos atendia”, conta.

A coordenadora do Polo Central, Vânia Gurgel, comentou a importância do serviço para os moradores da região da QE 15 e destacou a soma de esforços que levou à sua execução. “A mão de obra é muito boa, a Administração Regional disponibiliza 28 reeducandos, e o trabalho em conjunto com o GDF Presente trouxe essa importante obra para a cidade”, ressalta.

Foto: Divulgação/GDF Presente
No kartódromo do Guará a grama alta foi aparada e, junto aos meios-fios, foi feita a capina do mato que estava sobre eles | Foto: Divulgação/GDF Presente

No kartódromo do Guará a grama alta foi aparada e, junto aos meios-fios, foi feita a capina do mato que estava sobre eles – trabalho chamado de frisagem. 

Nas QI 18, 20 e 22 do Guará II, o GDF Presente recolheu diversos inservíveis como pedaços de armários e paletes de madeira descartados incorretamente por moradores nas calçadas e canteiros das vias. Esse material, se jogado fora de maneira irregular, pode acumular água e servir de foco de criação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, além de poluir visualmente a cidade.  

Demandas

Já na QE 40 do Guará II, uma boca de lobo que foi vandalizada e estava descoberta colocava em risco a segurança de pedestres, além de acumular lixo trazido pelas chuvas. Com o suporte do Polo Central, responsável pelo atendimento da região no programa GDF Presente, uma nova tampa foi colocada, cobrindo o vão.

Para a administradora regional do Guará, Luciane Quintana, o GDF Presente é um reforço importantíssimo para a região. “Com esse programa permanente conseguimos desafogar demandas e dar celeridade no atendimento ao cidadão, tendo o Polo Central, que é o que coordena todas as edições por aqui, um grande facilitador com apoio de mão de obra e maquinário”, afirmou.

Fonte: Governo DF

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Planaltina comemora aniversário virtualmente  
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA