DISTRITO FEDERAL

Contra sífilis, prevenção é o melhor remédio

Publicados

em


Arte: Érick Alves/SES

O Outubro Verde é o mês de alerta de prevenção à sífilis – doença infecciosa causada por uma bactéria e que pode ser prevenida com uso de preservativo. Os casos da doença vêm aumentando no Distrito Federal, e, no Dia Nacional de Combate à Sífilis, instituído em 17 de outubro, a Secretaria de Saúde (SES) alerta para a prevenção e lembra que, durante todo o ano, oferece atendimento e orientações, como a distribuição de preservativos em todas as 172 unidades básicas de saúde (UBSs) do DF.

É nas UBSs que testes rápidos para diagnóstico são disponibilizados, além do Núcleo de Testagem e Aconselhamento (NTA), na Rodoviária do Plano Piloto. O teste sai em 30 minutos após a coleta do material. Caso o resultado seja positivo, a amostra é encaminhada para comprovação laboratorial. Após a confirmação, o tratamento é iniciado imediatamente.

Transmissão e tratamento

A transmissão pode ocorrer por relação sexual sem camisinha com uma pessoa infectada ou da mãe para a criança durante a gestação ou parto. O tratamento é feito com uso de medicamento ofertado na rede pública de saúde. O melhor remédio, porém, ainda é a prevenção, pontua a técnica da Gerência de Vigilância de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) da SES, Daniela Magalhães. “Apesar de ser uma doença tratável e curável, ela não gera imunidade”, explica. “Portanto, a pessoa pode se reinfectar caso tenha relações sexuais desprotegidas com pessoa infectada”.

Leia Também:  Itália começa a testar possível vacina contra covid-19 em voluntários

Segundo a Vigilância Epidemiológica, foram registrados no DF, entre 2014 e 2019, 15.225 casos, sendo 9.179 de sífilis adquirida, 3.082 de sífilis em gestantes e 2.964 de sífilis congênita – quando a doença é transmitida de mãe para filho.

2.162 Número de casos de sífilis adquirida registrados no DF em 2019

Comparando 2018 e 2019, houve um aumento de 14,8% nos casos de sífilis adquirida. Foram 1.841 registros em 2018 e 2.162 em 2019. “O aumento mais expressivo é entre a população masculina de 20 a 39 anos, com 1.025 casos em 2019, correspondendo a quase metade de todos os registros do ano passado”, informa Daniela Magalhães.

 

* Com informações da SES

Fonte: Governo DF

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

DISTRITO FEDERAL

Setur premia mestres artesãos e pioneiros do DF

Publicados

em


A artesã Antonia Lopez do Nascimento, entre as secretárias de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha, e de Turismo, Vanessa Mendonça: “A gente faz arte por amor, com o coração” | Foto: Gustavo Alcântara/Setur

Em iniciativa inédita do GDF, o trabalho do artesão como veículo de transformação social ganha merecido reconhecimento. Nesta terça-feira (27), a Secretaria de Turismo (Setur) lançou a I Mostra Pioneiros – Mestres Artesãos, que reúne farto material produzido em décadas de trabalho desses profissionais, cuja arte mistura todas as culturas de diferentes regiões do país.

Com a presença de autoridades, os pioneiros e artesãos foram homenageados pelo valor de suas obras na consolidação da identidade cultural de Brasília. São 125 peças de 26 artistas que ficarão expostas até 15 de novembro na Casa de Chá, na Praça dos Três Poderes.  O objetivo da Setur, destacou a titular da pasta, Vanessa Mendonça, é valorizar o artesanato, impulsionar a economia e incentivar o reconhecimento desses mestres.

“Atuamos para disponibilizar espaços para a comercialização do artesanato produzido aqui no Distrito Federal, e assim proporcionar geração de emprego e renda” Vanessa Mendonça, secretária de Turismo

Atualmente, a Setur tem mais de 10,5 mil profissionais do artesanato cadastrados. “Não é trabalho de assistencialismo”, pontuou Vanessa Mendonça. “Atuamos para disponibilizar espaços para a comercialização do artesanato produzido aqui no Distrito Federal, e assim proporcionar geração de emprego e renda”, afirmou.

Homenagens

Os artistas receberam diplomas de reconhecimento com chancela do Programa de Artesanato Brasileiro (PAB) e do Sebrae DF pelas mãos de representantes de diversos órgãos do GDF, como a secretária da Mulher, Ericka Filippeli; a titular da Secretaria Extraordinária da Pessoa com Deficiência, Rosinha da Adefal;  o subsecretário de Microcrédito e Economia Solidária da Secretaria do Trabalho (Setrab), Alex Barreto; a analista do Sebrae-DF Natália Fabrino; a organizadora da exposição e mestre-artesã Roze Mendes e os deputados federais Roberto de Lucena e Julio Cesar.

Confeccionado por  Omar Franco, o troféu de honra ao mérito foi entregue aos artesãos Tião Piauí  (trabalhos em fibras), Cleizeane Ribeiro (esculturas de argila), Divino Faleiros (buritis), Randall Felix (esculturas em madeira), Antônia Lopes de Oliveira (capim-verde), Maria Apolinária e Maria Dalva (ambas destaques com obras feitas de flores do Cerrado).

Leia Também:  Pele oleosa: saiba como escolher o melhor hidratante

Arte com amor

Nascida em Paracatu (MG), Maria Dalva, 68 anos, aprendeu o artesanato por necessidade e repassou o conhecimento para sua filha, Verônica Brilhante, e para Roze Mendes. “Criei os meus filhos fazendo artesanato”, conta. “Tudo que eu tenho, tudo que sou, ganhei do artesanato”.

Verônica, que hoje aprimora sua técnica com Roze Mendes, também discípula de sua mãe, ficou emocionada com a homenagem ao trabalho da mãe. “É o primeiro governo que reconhece esses talentos”, destacou.

Já Antonia Lopez de Oliveira, 80 anos – a mais idosa do evento -, diz que estava “no fundo do poço”, com todo o material produzido trancado em um baú. “Foi quando essa moça, Vanessa Mendonça, me descobriu e foi me buscar”, relatou. “A gente faz arte por amor, com o coração”.

Produção intensa

As obras que integram esta primeira edição da Mostra Pioneiros – Mestres do Artesanato de Brasília foram selecionadas por uma comissão composta por Ana Beatriz, representante do Programa do Artesanato Brasileiro; a arquiteta Angelina Nardelli Quaglia; a jornalista e designer de interiores Jane Godoy; Juliana Rocha, representante do Sebrae;  a especialista e consultora em assuntos relacionados ao artesanato Malba Trindade; o artista plástico Omar Franco e a secretária de Turismo.

A força do artesanato para a cadeia econômica da cidade se mostrou já no início do evento. Algumas peças em exposição foram vendidas para turistas do Paraná e do Rio de Janeiro, antes da abertura oficial da mostra. Para fortalecer ainda mais esse setor, a Setur vem incentivando o artesanato típico do DF, que dá vida à matéria-prima fornecida pelo Cerrado.

A secretária Vanessa Mendonça citou algumas das ações já desenvolvidas, como a abertura de duas lojas em shoppings de Brasília para artesãos do DF, além de participação em feiras nacionais e internacionais. Somente em 2019, o setor movimentou mais de R$ 871,5 mil.

Leia Também:  Pesquisa: 86,9% aprovam construção do Túnel de Taguatinga

Casa do Artesão

A Setur também atua junto à Subsecretaria de Microcrédito e Economia Solidária da Secretaria de Trabalho para oferecer linhas de crédito especiais à categoria. O próximo passo, adianta a secretária de Turismo, é a construção da Casa do Artesão, que será um centro de referência do artesanato brasiliense.

A secretária de Desenvolvimento Social e primeira-dama do DF, Mayara Noronha Rocha, destaca que essas ações são imprescindíveis para fomentar o setor. “É por isso que um evento desse porte se faz necessário, para que a gente realmente valorize a cultura do artesão, para que a gente crie na população a vontade de investir, de acreditar nessa potência”, resume.

“Um evento desse porte se faz necessário para que a gente realmente valorize a cultura do artesão, para que a gente crie na população a vontade de investir, de acreditar nessa potência” Mayara Noronha Rocha, secretária de Desenvolvimento Social

O coordenador cultural da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur), Mário Pilar, destacou a alta demanda pelo artesanato brasileiro no exterior. Em 2019, a instituição, que é parceira da Setur, proporcionou a presença dos artesãos do DF em feiras realizadas em Londres (Inglaterra) e em Buenos Aires (Argentina). “O compromisso que nós teremos é disponibilizar em cada estande da Embratur [Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo], não só no país, mas no exterior, peças do artesanato brasileiro”, assegurou.

Já o coordenador de Relações Governamentais na Apex-Brasil, general Elias Rodrigues Martins Filho, ressaltou as oportunidades que o artesanato pode trazer para atrair investimentos para o país: “Uma exposição como essa reúne a riqueza do talento dos nossos artistas e expõe, ainda, um enorme potencial que temos tanto para atração de investimentos quanto para fazer evoluir esse setor a ponto de exportamos para fortalecer a nossa economia”.

* Com informações da Setur

Fonte: Governo DF

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

FAMOSOS

DISTRITO FEDERAL

SEGURANÇA

MAIS LIDAS DA SEMANA