BRASIL

Parceria fomentará geração de emprego para jovens do Cadastro Único

Publicados

em


O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, e os presidentes da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs) e do Serviço Nacional de Aprendizado Industrial (Senai-RS), Gilberto Petry, assinaram, nessa quinta-feira (11), em Porto Alegre, um Protocolo de Intenções do Programa Progredir, ação do Governo Federal que busca a inclusão de pessoas de baixa renda, inscritas no Cadastro Único, no mercado de trabalho.

O ministério, em parceria com a Fiergs, fomentará o programa nos três eixos: intermediação da mão de obra, qualificação profissional e empreendedorismo.

Segundo Onyx Lorenzoni, esse é um programa de sustentabilidade que proporciona um caminho de liberdade, por meio do emprego, para os mais vulneráveis. “Nós temos muitas iniciativas para gerar emprego e renda, que é um dos desafios do nosso Governo, e o Progredir é uma delas, que prepara, treina, qualifica e gera oportunidade para aqueles que precisam.”

“Temos a clareza de que o grande gerador de empregos é a iniciativa privada. Por isso, disponibilizamos nossa base de dados, que hoje, graças ao Auxílio Emergencial, está completa com todos bancarizados e georreferenciados, para que juntos possamos oferecer transformações positivas aos brasileiros”, completou o ministro.

Leia Também:  Governo de Pernambuco gera oportunidades de emprego e renda no interior do Estado

Serão oferecidos, no site do Ministério da Cidadania, cursos gratuitos que abordam competências importantes para o mercado de trabalho, além de uma área para elaboração de currículo e vagas de emprego. Os cursos oferecidos pela Fiergs, de forma gratuita, serão divulgados na plataforma do Plano Progredir. Todos eles estão atualizados com as demandas, favorecendo tanto a inserção no mercado de trabalho quanto o empreendedorismo.

Acesse a plataforma do Plano Progredir

 

Com informações do Ministério da Cidadania

Fonte: Brasil.gov

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

BRASIL

Investimento para garantir segurança energética brasileira

Publicados

em


Para garantir a segurança energética no país, a Itaipu Binacional investirá cerca de R$ 1 bilhão na revitalização do sistema de corrente contínua de alta tensão que transmite ao mercado brasileiro a energia produzida na usina que não é consumida pelo Paraguai.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, participaram, na manhã desta quinta-feira (25), em Foz do Iguaçu (PR), do lançamento de revitalização de sistemas de Furnas.

“O compromisso que acabou de ser assinado tem o objetivo de otimizar e substituir equipamentos obsoletos e de tecnologia ultrapassada na linha de transmissão que vai de Foz do Iguaçu a Ibiúna”, explicou o ministro Bento Albuquerque.

“Ao modernizar o sistema, estaremos garantindo ao consumidor brasileiro a prestação do serviço adequado de energia elétrica, sem intercorrências. Creio não exagerar quando afirmo que estamos dando hoje um passo concreto no sentido de incrementar a segurança energética do país”, completou.

O aporte de recursos previsto no acordo assinado entre Itaipu Binacional e Furnas será feito ao longo de cinco anos. O repasse da primeira parcela, R$ 161 milhões, foi feito pela Itaipu Binacional em dezembro de 2020.

Leia Também:  Governo prorroga restrições à entrada de estrangeiros

Modernização

O sistema de Corrente Contínua de Alta Tensão (HVDC, na sigla em inglês) de Furnas tem 36 anos de uso, por isso a revitalização é considerada estratégica para a segurança energética brasileira. Ele se estende por 800 quilômetros, entre Foz do Iguaçu (PR) e Ibiúna (SP).

A modernização contempla a substituição dos principais componentes do Bipolo 1, nas subestações de Foz do Iguaçu e Ibiúna, além dos sistemas de supervisão, proteção e controle dos Bipolos 1 e 2.

O sistema de corrente contínua é ideal para transmitir energia em longas distâncias, já que tem perdas menores quando comparado com a corrente alternada. O custo das linhas de transmissão também é menor, porque utiliza menos cabos e as torres são mais simples.

A energia de Itaipu

O Brasil e o Paraguai têm direito, cada um, a 50% da produção da usina hidrelétrica de Itaipu. O Paraguai consome 20% da energia e vende o excedente de produção ao Brasil.

Plano Decenal de Expansão de Energia

Na cerimônia, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, aprovou o Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE) 2030. O plano é um dos principais produtos do Ministério de Minas e Energia e apresenta a política energética, aumentando a previsibilidade sobre as ações governamentais.

Leia Também:  Governo lança edital para concessão de parques nacionais

“O plano objetiva orientar as ações e decisões relacionadas ao equilíbrio entre as projeções de crescimento econômico e necessária expansão da oferta de energia em bases técnica, econômica e ambientalmente sustentável. Como não existe crescimento econômico sem energia, o plano é um instrumento essencial para os agentes de um segmento que requer investimentos vultosos e de médio e longo prazo”, ponderou o ministro.

Fonte: Brasil.gov

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA