BRASIL

Nove meses da Operação Verde Brasil 2

Publicados

em


A atuação das Forças Armadas e agências ambientais, por meio da Operação Verde Brasil 2, completa nove meses. No combate aos crimes ambientais na região da Amazônia Legal, foram apreendidos 464.182 m³ de madeira. Os Comandos Conjuntos da Amazônia, Norte e Oeste registraram o total de 89.082 inspeções terrestres e navais.

Nesse período, foram aplicadas 4.878 multas e termos de infrações, somando 3,337 bilhões de reais. A força-tarefa também combateu 16.435 focos de incêndio, sendo 15.687 na região do Comando Conjunto Oeste.

Na quarta-feira (10), o Vice-Presidente da República e presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal (CNAL), Hamilton Mourão, anunciou o Plano Amazônia 2021/2022, que substituirá a Operação Verde Brasil 2. O fim da operação está previsto para 30 de abril de 2021.

 

Com informações do Ministério da Defesa

Fonte: Brasil.gov

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Mortes violentas intencionais no Rio caem 13% no ano, diz ISP
Propaganda

BRASIL

Investimento para garantir segurança energética brasileira

Publicados

em


Para garantir a segurança energética no país, a Itaipu Binacional investirá cerca de R$ 1 bilhão na revitalização do sistema de corrente contínua de alta tensão que transmite ao mercado brasileiro a energia produzida na usina que não é consumida pelo Paraguai.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, participaram, na manhã desta quinta-feira (25), em Foz do Iguaçu (PR), do lançamento de revitalização de sistemas de Furnas.

“O compromisso que acabou de ser assinado tem o objetivo de otimizar e substituir equipamentos obsoletos e de tecnologia ultrapassada na linha de transmissão que vai de Foz do Iguaçu a Ibiúna”, explicou o ministro Bento Albuquerque.

“Ao modernizar o sistema, estaremos garantindo ao consumidor brasileiro a prestação do serviço adequado de energia elétrica, sem intercorrências. Creio não exagerar quando afirmo que estamos dando hoje um passo concreto no sentido de incrementar a segurança energética do país”, completou.

O aporte de recursos previsto no acordo assinado entre Itaipu Binacional e Furnas será feito ao longo de cinco anos. O repasse da primeira parcela, R$ 161 milhões, foi feito pela Itaipu Binacional em dezembro de 2020.

Leia Também:  Boletim Informativo - Operação Enem Atualizado às 8h30

Modernização

O sistema de Corrente Contínua de Alta Tensão (HVDC, na sigla em inglês) de Furnas tem 36 anos de uso, por isso a revitalização é considerada estratégica para a segurança energética brasileira. Ele se estende por 800 quilômetros, entre Foz do Iguaçu (PR) e Ibiúna (SP).

A modernização contempla a substituição dos principais componentes do Bipolo 1, nas subestações de Foz do Iguaçu e Ibiúna, além dos sistemas de supervisão, proteção e controle dos Bipolos 1 e 2.

O sistema de corrente contínua é ideal para transmitir energia em longas distâncias, já que tem perdas menores quando comparado com a corrente alternada. O custo das linhas de transmissão também é menor, porque utiliza menos cabos e as torres são mais simples.

A energia de Itaipu

O Brasil e o Paraguai têm direito, cada um, a 50% da produção da usina hidrelétrica de Itaipu. O Paraguai consome 20% da energia e vende o excedente de produção ao Brasil.

Plano Decenal de Expansão de Energia

Na cerimônia, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, aprovou o Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE) 2030. O plano é um dos principais produtos do Ministério de Minas e Energia e apresenta a política energética, aumentando a previsibilidade sobre as ações governamentais.

Leia Também:  Traficante é preso durante operação da Polícia Civil de Piraju

“O plano objetiva orientar as ações e decisões relacionadas ao equilíbrio entre as projeções de crescimento econômico e necessária expansão da oferta de energia em bases técnica, econômica e ambientalmente sustentável. Como não existe crescimento econômico sem energia, o plano é um instrumento essencial para os agentes de um segmento que requer investimentos vultosos e de médio e longo prazo”, ponderou o ministro.

Fonte: Brasil.gov

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA