Amazonas

Comitê investiga crimes contra ordem tributária, lavagem de dinheiro e organização criminosa

Publicados

em


Por meio do Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (Cira), a Polícia Civil do Amazonas instaurou 79 inquéritos, no ano passado, para apurar o crime de sonegação de impostos estaduais por pessoas jurídicas no Estado. Os dados são da Delegacia Especializada em Crimes contra a Fazenda Pública Estadual.

 De acordo com a delegada Elizabeth de Paula, adjunta do CIRA, um dos principais alvos das investigações do Comitê são as empresas que sonegam impostos e utilizam laranjas, nomes de terceiros, para não pagar os encargos. Além deles, a Polícia Civil investiga e intima os proprietários de grandes, médias e pequenas empresas que acumulam dívidas, algumas delas com suspeita de ultrapassar o valor de R$ 3 milhões em sonegação.

“Nesses casos de estelionatários, que eles utilizam laranjas, nós vamos atrás dessas pessoas, assim como intimamos os estelionatários. Todos respondem pelos crimes e, no caso dos laranjas, eles devem pagar a dívida com o Estado. Já identificamos também o caso de pequenas empresas que emitem nota, utilizando as facilidades que o Amazonas tem com redução de impostos, mas não enviam a mercadoria para o nosso Estado. Nós estamos no rastro desses envolvidos”, disse.

Leia Também:  Força-tarefa deflagra operação contra organização criminosa em Roraima

Conforme a delegada, as empresas devedoras variam de área de atuação, sejam firmas de transporte, moda, serviços, restaurantes, indústria alimentícia e transportadoras. Nos casos de lavagem de dinheiro e organização criminosa, a polícia consegue chegar aos autores, seguindo o dinheiro.

 “É uma técnica de investigação. Nós seguimos o rastro do dinheiro sonegado até chegar aos donos e conseguir intimá-los. O procedimento no Comitê é chamar o empresário e informar o valor da dívida, se ele não quiser pagar, nós indiciamos e enviamos para a Justiça e, então, ele responde criminalmente, mas normalmente quando eles são chamados, a maioria quer pagar”, informou Elizabeth de Paula.

 Para 2021, o Cira já possui mil investigados para serem autuados pelos crimes contra a ordem tributária, adiantou a delegada. O crime tem uma pena de 2 a 5 anos de prisão e multa.

CIRA – O Cira foi implantado em outubro de 2018 e é constituído pela Polícia Civil, Ministério Público do Estado, Procuradoria Geral do Estado e Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz).

Fonte: Governo AM

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Amazonas

Polícia Militar detém grupo armado ligado a facções criminosas no bairro Jorge Teixeira

Publicados

em


A Polícia Militar, por meio das Rondas Ostensivas Cândido Mariano (Rocam), deteve, na manhã de quarta-feira (20/01), um grupo armado formado por seis homens, sendo um de 18, quatro de 21 e um de 26 anos, todos ligados a facções criminosas que atuam no bairro Jorge Teixeira, na zona leste da capital.

Conforme as informações repassadas pelas equipes em serviço, por volta de 10h, várias denúncias foram repassadas via WhatsApp Rocam (99280-7574) dando conta de que vários elementos estariam aterrorizando e efetuando disparos de arma de fogo, levando medo e tensão a moradores de uma comunidade de invasão localizada no Jorge Teixeira. A denúncia detalhou ainda que um deles teria participação em vários homicídios ocorridos na capital.

Os militares das viaturas 8691 e 8151, juntamente com as outras equipes de serviço, dirigiram-se ao local. No momento em que avistaram as viaturas, vários indivíduos fugiram para dentro de uma casa na comunidade. O efetivo policial realizou cerco e localizou todos os envolvidos, que foram abordados e revistados. Após busca pessoal e revista no local, foram encontradas com o grupo várias armas de fogo e porções de substâncias possivelmente entorpecentes.

Leia Também:  Polícia Militar detém três jovens e apreende adolescente com arma de fogo e arma branca em ônibus na Cidade Nova

Entre os materiais apreendidos estavam seis armas de fogo, sendo uma pistola calibre .380, marca Taurus, PT 138, n° KUA15464; uma pistola calibre .380, marca Taurus, PT 938, n° 10832; un revólver calibre .38, marca Taurus, de numeração suprimida; um revólver calibre .38, marca Rossi, n° 906290; un revólver calibre .38, marca Taurus, de numeração suprimida; e um revólver calibre .38, marca Taurus, de numeração suprimida.

Também foram apreendidas 23 munições calibre .38 intactas; 13 munições calibre .380 intactas; e oito munições calibre .40 intactas; além de oito porções de substância possivelmente oxi; nove porções de substância possivelmente maconha tipo skunk; e duas porções de substância com aspecto de cocaína.

Em face do flagrante, todo o grupo detido e, juntamente com o material apreendido, conduzido para a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), para a conclusão dos procedimentos legais apropriados.

Fonte: Governo AM

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA