Acre

Em visita ao Into, Gladson Cameli conversa com servidores e pacientes sobre avanço da Covid-19

Publicados

em


O governador Gladson Cameli realizou na noite desta quinta-feira, 19, uma visita surpresa às instalações do Instituto de Traumatologia do Acre (Into) onde fica o hospital de campanha exclusivo para atendimento dos casos suspeitos e confirmados de Covid-19.

Aos pacientes, governador reforçou a necessidade dos cuidados individuais para não haver novas contaminações Foto: Diego Gurgel/Secom

Cameli tem externado preocupação com o avanço do número de casos da doença que voltou a crescer em todo o Brasil. No Acre, só na última semana foram registrados 1.374 novos casos, com uma média de 100 pessoas contaminando novas 107. E embora a rede pública de saúde ainda não esteja sobrecarregada, a rede privada já deu sinais de lotação de seus leitos clínicos.

Durante este momento do avanço da pandemia em todo o mundo, o governo do Acre, com o apoio do governo federal, realizou um investimento histórico na área de saúde pública, com a criação de 90 leitos de UTI e 352 leitos clínicos destinados ao combate da Covid-19, junto a dois hospitais de campanha, além do oferecimento atual de ampla testagem. Entretanto, mesmo com tamanho avanço em tão curto tempo, os cuidados pessoais e coletivos seguem necessários para que o sistema não corra risco de no futuro entrar em colapso.

Leia Também:  "Visita informal", diz secretário sobre ida de Doria ao Ministério da Saúde

Conversando com os profissionais de saúde e, principalmente, com os pacientes, Gladson Cameli relembrou a necessidade de todos adotarem o uso constante de máscara, limpeza das mãos e o distanciamento social para evitar o crescimento descontrolado de novos casos.

Governador parabenizou os profissionais pela dedicação e o bom serviço prestado Foto: Diego Gurgel/Secom

“Estou muito preocupado com a possibilidade de uma segunda onda da Covid-19 no Acre. Por isso fiz uma visita fora da agenda corriqueira para conversar com as pessoas no Into e pedir para que elas redobrem os cuidados. Tomando todos os cuidados necessários não precisaremos fechar o comércio. Neste momento não estou preocupado com política, mas com a saúde e bem-estar das pessoas e da economia acreana”, destacou o governador.

Pelas redes sociais, até mesmo pacientes que estavam em busca de atendimento no Into foram surpreendidos pela visita do governador. Uma das usuárias relatou: “Estive lá hoje para ser atendida, a espera é longa, e enquanto aguardava atendimento fui surpreendida pela sua visita. Elogiável sua atitude, chegou sem anunciar, sem fazer alarde da sua presença. Parabéns e minha gratidão pelo hospital construído em tão pouco tempo, que hoje é referência, e posso dizer que valeu o tempo de espera, pois fui muito bem atendida, profissionais de excelência”.

Fonte: Governo AC

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Acre

Iapen e Sesacre promovem mutirão de atendimento médico no Complexo Penitenciário de Rio Branco

Publicados

em


Em continuidade às ações do Novembro Azul, o Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), promoveu durante toda esta quarta-feira, 25, um mutirão de atendimento clínico geral no Complexo Penitenciário de Rio Branco.

Pela manhã, 30 presos foram atendidos na Unidade Básica de Saúde do Complexo, onde passaram por consulta com clínico geral e, de acordo com cada caso, receberam medicações e encaminhamento ao especialista. Outros 45 detentos passaram pelo mesmo procedimento no período da tarde.

Durante o mutirão, foram atendidos 75 presos Foto: Iapen/AC

A chefe da Divisão de Saúde do Iapen, Ingrid Kariny Suárez, explicou que, diante da grande demanda de atendimento clínico geral, o Iapen buscou a parceria com a Sesacre para a disponibilidade de profissionais para o mutirão. A UBS do Complexo conta atualmente com três médicos que se revezam nos períodos matutino e vespertino. Cada médico atende em média 20 presos, o que garante o atendimento diário de 60 pacientes.

Somam-se aos atendimentos, as consultas de enfermagem, com curativos, dispensação de medicação e administração de insulina, dentre outros procedimentos. No caso específico do mutirão, a Sesacre disponibilizou dois médicos, além dos três clínicos gerais que já são cedidos pela Secretaria, para o reforço no atendimento.

Leia Também:  Direito à vida: o papel das instituições em favor dos mais vulneráveis
Unidade Básica de Saúde recebeu um reforço para reduzir demanda reprimida Foto: Iapen/AC

“Esse atendimento de hoje é extremamente importante porque os nossos três clínicos gerais, infelizmente, não conseguem atender toda a população carcerária do Complexo de quase 4 mil homens. Esse reforço, por menor que seja, já ajuda muito a desafogar um pouco a demanda reprimida”, ressaltou Ingrid Kariny Suárez.

Quanto aos procedimentos, Suárez explicou que a medicação prescrita pelos médicos, desde que oferecidas pela atenção básica, são entregues pela farmácia da UBS e o preso já sai do atendimento com a medicação. Nos casos em que o remédio prescrito não faz parte da atenção básica, a receita é entregue ao paciente para que a família possa comprar.

No caso de detentos encaminhados para consulta com especialista, os encaminhamentos ficam na Unidade Básica do Complexo, que se encarrega de enviar para a regulação do estado para agendamento.

Fonte: Governo AC

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA